Taxa da mortalidade por tuberculose está dentro dos parâmetros da OMS, mas requer esforços redobrados, ministro saúde

Cidade da Praia, 06 Ago (Inforpress) – O ministro da saúde revelou hoje que a taxa de mortalidade por tuberculose em Cabo Verde está dentro dos parâmetros estabelecidos pela OMS, mas alerta para a necessidade de se redobrar esforços neste “importante problema da saúde pública”.

Durante o encerramento da III Cimeira Parlamentar Africana sobre Tuberculose, na Cidade da Praia, Arlindo do Rosário realçou que “os dados actuais apontam para uma incidência anual de 33/100.000 e uma prevalência de 38/100.000 de tendência decrescente.

Especificou que a taxa de detecção em 2018 foi de 80%, “considerada muito boa”, pelo relatório da Organização Mundial da Saúde, tendo afiançado que anualmente a taxa de mortalidade não tem ultrapassado 5 óbitos por tuberculose por 100.000 habitantes, estabelecido como aceitável pela OMS.

Por isto disse considerou que estes dados são animadores, mas que, ainda assim, requerem esforços na implementação integral da estratégia “End TB” (fim da tuberculose) da OMS, que, disse, pressupõe acabar com esta moléstia como um problema de saúde pública até 2035.

O governante foi, por outro lado, explicito em afirmar que a “tuberculose tem prevenção e tem cura e é possível a sua eliminação”, alegando que mais do que doença é sobretudo um problema social, político e económico, cuja a medida mais efectiva do seu controlo é o combate á pobreza.

Arlindo do Rosário mostrou-se convicto que o trabalho conjunto do Grupo Parlamentar Africano da Tuberculose com demais instituições numa parceria nacional, regional e global contribuirá para se alcançar a cobertura universal em saúde, com reflexos na eliminação da tuberculose e outras pandemias.

Particularmente a África, reconheceu, o governante, que apesar dos importantes avanços que vem registando no seu desenvolvimento económico e social poderia ter já atingido outros estádios caso não fossem o peso das epidemias da malária, do HIV, da tuberculose entre outras que, disse, têm aumentado a fragilidade dos sistemas de saúde.

Exaltou o privilégio de Cabo Verde receber a III Cimeira da Tuberculose em África , no quadro de uma parceria estratégia entre o parlamento Pan Africano, a Nova Parceria para o Desenvolvimento em África (NEPAD) e a Frente Parlamentar para a eliminação da tuberculose em África, integrante da Frente Parlamentar Global.

SR/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap