Tarrafal: Dynamo e TrakinuZ não decepcionaram e agradaram o público no último dia do festival Nhu Santo Amaro

Tarrafal, 13 Jan (Inforpress) – Os artistas Dynamo e TrakinuZ, cada um no seu estilo musical, não decepcionaram e agradaram o público no encerramento do Festival Nhu Santo Amaro, no Tarrafal, contrariamente do MC Tranka Fulha que desapontou pela primeira vez os fãs.

O segundo e último dia do certame, que se enquadra nas festividades do Dia do Município e santo padroeiro Santo Amaro Abade, que se assinala esta quarta-feira, 15, inicialmente agendado para começar às 22:00, à semelhança do primeiro dia principiou perto da meia-noite, com a actuação de jovens talentos e artistas locais Delta Cultura e Advogado Rap.

Logo após a “prata da casa”, entrou no palco o MC Carter perto da 01:00, que cantou e animou as “poucas” pessoas que se encontravam no recinto a se queixar do frio.

A cantora residente do Tarrafal que deu praticamente uma hora de espectáculo marcado pelos estilos como reggae e musicas tradicionais, mesmo em estreia no certame não decepcionou e na linha do antecessor fez “esquentar” o recinto.

Aliás, foi essa a razão que levou Suzete a pedir para regressar na próxima edição.

Quem também não decepcionou o público e os fãs, pelo contrário, os agradou, foi o jovem rapper salvadorenho TrakinuZ, que com casa “praticamente cheia”, trouxe um novo estilo musical, ou seja, hip hop crioulo, para o palco por volta das 02:00, tendo ali permanecido até por volta das 03:30.

O artista que pisa pela primeira vez o palco do Festival Nho Santo Amaro apresentou os sucessos do seu EP “Sonhuz ta kontinua vivo”, como “Líder d’nha alkateia” e “Foriando”, entre outros, e ainda músicas novas.

Os fãs e o público no geral renderam-se ao músico que convidou para o palco outros rappers, tendo mais uma vez aproveitado a ocasião para apelar à união à volta do “rapper crioulo”, tendo cedido o palco ao jovem músico salense Dynamo que é o cabeça-de-cartaz do último dia do festival.

Assim como os antecessores, o artista radicado em Portugal que há dois anos tinha marcado presença no mesmo certame esquentou o recinto tendo levado o público ao delírio, sobretudo a mulherada, num repertório marcado pelas músicas como “Kimica”, “Only One”, “Enquanto n’respira”, “Poderosa” e “Encaixa”.

Ainda durante a sua apresentação cantou o tema “Princesa” (acústico) sentado, onde as fãs cantavam entre choros e gritos.

Dynamo, que encerrou a sua actuação ao som do single “Nka Sá consegui”, lançado recentemente numa parceria com Djodje, cedeu o palco ao MC Tranca Fulha.

No final, Dynamo que prevê lançar novo álbum ainda este mês, disse ser “gratificante” ouvir as pessoas a cantar todas as músicas, o que, na sua perspectiva, significa que se está a valorizar o seu trabalho.

Em estreia no Festival de Nhu Santo Amaro, esperava-se que MC Tranka, considerado artista do ano de 2019 tirasse o “brilho” dos seus antecessores como tem sido hábito, mas não conseguiu e apesar de “casa cheia” eram poucas as vozes que se faziam ouvir.

Com telemóveis a postos para gravar o momento da sua entrada no palco de forma “bizarra” como habituou o público, eis que o jovem artista que já actuou na Europa e nos Estados Unidos da América entra com correntes nas mãos e nos pés, alegando uma homenagem aos presos políticos do Campo de concentração, mas não surpreendeu e nem agradou a maioria dos presentes.

Entretanto as opiniões divergem-se, se uns ficaram decepcionados com a sua entrada outros dizem que deu “bom show”. Aliás, o próprio artista considerou “positiva” a sua actuação não só pela homenagem, mas também por encontrar casa cheia e ser “bem-recebido” pelos fãs.

MC Tranka Fulha que avançou que vai lançar este ano o seu primeiro álbum com participação de vários artistas, terminou a sua actuação ao som de “Mama bua” por volta das 06:00, tendo cedido o palco ao agrupamento musical Ferro Gaita que só iniciou a sua actuação 45 minutos depois.

Com “casa praticamente cheia”, o grupo, que fez o público dançar o funaná ao longo da sua apresentação, fez cair o pano do segundo e último dia do Festival Nho Santo Amaro 2020, praticamente, às 08:00.

A animação musical no segundo dia ficou a cargo do MC Acondeze, e dos DJ Narciso e Kevy Delgado, que “cativaram” o público a cada troca de artistas do palco.

Assim como no primeiro dia, o último dia do Festival Nhu Santo Amaro ficou marcado por uma homenagem a Giovani Rodrigues.

Mesmo com o anúncio da proibição da entrada de menores no festival, a Inforpress constatou, assim como no primeiro dia, um número significativo de meninas e rapazes aparentemente menores.

Segundo informações da Esquadra Policial do Tarrafal, os dois dias do festival decorreram “dentro da normalidade”, não obstante pequenas brigas e alguns acidentes de viação.

Para assinalar as festividades do Dia do Município e do seu santo padroeiro, Santo Amaro Abade, foi programado um leque de actividades culturais e desportivas, que já arrancaram desde meados de Dezembro, e várias inaugurações.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap