Tarrafal de Santiago: Trinta famílias recebem parcelas de terreno para produção agrícola em Achada Porto

Tarrafal,26 Ago (Inforpress)- Trinta famílias residentes nas localidades de Achada Tenda, Achada Porto e Bilimboa, no município do Tarrafal (Santiago), receberam hoje termos de concessão de parcelas de terreno para uso exclusivo à produção agrícola localizada em Achada Porto.

O terreno, de três hectares , dividido em 30 parcelas de 1000 metros, foi cedido à 27 mulheres e três homens das três localidades por arrendamento, por um período de 10 anos renováveis, segundo a edilidade tarrafalense, que vê em Achada Porto a criação de um “pulmão verde” para aquele município do interior de Santiago.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José Nunes Soares, explicou que a edilidade escolheu esta altura para fazer a entrega dessas parcelas por entender que está a dar uma “prenda” a essas famílias, tendo em conta que essas três comunidades celebram, no dia 28, o seu santo padroeiro Santo Agostinho.

“Estamos a fazer a entrega dessas parcelas, porque é política da câmara e do Governo de Cabo Verde ajudar pessoas e famílias carenciadas, combater a pobreza, eliminar a fome em Cabo Verde e no Tarrafal, em particular. A edilidade, conforme acentuou, está a fazer a entrega dessas parcelas, mas também ajudar com a saúde, alimentação e sub-nutrição”, sublinhou o autarca.

O edil destacou o facto de as localidades vizinhas passarem de momento a comprar produtos apenas em Achada Porto, razão que o leva a afirmar que por tudo que viu ali, os agricultores têm também capacidade para venderem os seus produtos nas outras zonas do Tarrafal e municípios da ilha de Santiago e, quiçá, a nível nacional.

O autarca tarrafalense, que lembrou aos beneficiários que essa área é para “uso exclusivo” para a prática da agricultura, encorajou-os a continuarem com a mesma dinâmica para que no final de 10 anos possam provar que merecem que a Câmara Municipal deve lhes conceder o terreno por mais tempo.

Por outro lado, mostrou-se convicto de que esta ideia de Achada Porto deve servir de “referência” para que possa ser “espalhada” por outras localidades do Tarrafal, da ilha de Santiago e de Cabo Verde.

Os beneficiários, que há seis meses começaram os cultivos das hortaliças e plantas, cujos primeiros produtos estão a ser vendidos, contaram ainda com assessoria jurídica e técnica, sobretudo no combate às pragas do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), através da delegação do MAA local e do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA).

Por sua vez, a porta-voz dos beneficiários, Deneia Tavares, agradeceu a edilidade tarrafalense e todos os envolvidos no processo da concessão do terreno, que segundo ela , trouxe uma outra dinâmica para as três localidades, fazendo com que tenham hoje um “ganha-pão”.

Apesar de serem 27 mulheres e três homens, a mesma fonte destacou o “djunta-mon” existente entre todos os beneficiários, que tencionam criar uma cooperativa.

Ainda no âmbito das festividades de Santo Agostinho, o executivo camarário visitou as obras de requalificação de Achada Tenda, financiadas no âmbito do programa PRRA em 9.000 contos.

As obras, que segundo informações avançadas, empregam directamente 50 pessoas e indirectamente mais 30, vão ser concluídas dentro de um mês, contemplando calcetamento, espaços verdes, construção de muros de protecção, escadaria de acesso às casas, colocação de passeios e calçadas novas, e ainda cobertura da casa dos pescadores.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap