Tarrafal de Santiago: Fundo de Descentralização veio em boa hora e vai servir para acudir as pessoas – presidente da câmara (c/áudio)

Tarrafal, 22 Mai (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Tarrafal de Santiago afirmou hoje que o Fundo de Descentralização (FD), financiado pela Cooperação Luxemburguesa, “veio em boa hora” e que vai servir para acudir as pessoas desse município do mundo rural.

José Nunes Soares falava à Inforpress, a propósito do lançamento do FD, programa de apoio aos municípios e associações locais na implementação de projectos destinados à luta contra a pobreza e melhoria da qualidade de vida das pessoas.

“O Fundo de Descentralização veio em boa hora. E creio que o propósito é acudir as pessoas. Os nossos projectos serão direccionados para o emprego, turismo social, e para o sector agro-industrial”, revelou o autarca tarrafalense.

De acordo com o autarca, o município vai priorizar projectos que têm a ver com a pobreza e com o mundo rural, lembrando que neste momento o fundamental são as pessoas, ou seja, a sua saúde, segurança e sobrevivência.

O edil referiu que, sem a saúde, segurança e sobrevivência das pessoas, “não se pode almejar qualquer tipo de desenvolvimento”.

Nesse sentido, avançou que a autarquia vai reunir, na próxima semana, com as principais associações desse município do interior de Santiago, algumas delegações dos ministérios, e elementos da Assembleia Municipal do Tarrafal para a apresentação de um a três projectos.

A propósito dos projectos a serem apresentados, o chefe do executivo camarário lembrou que os mesmos já estavam elaborados, mas, no entanto, admitiu que podem ser actualizados em conjunto com outros parceiros para que possam ser executados.

“Esperamos que [os projectos] sejam rapidamente aprovados, e que se faça o desembolso, para começarmos com as acções na prática, nas localidades, e para poder beneficiar em tempo útil as populações”, vaticinou o autarca.

O Fundo de Descentralização disponibilizará um total de 2.800.000 euros para financiar projectos a associações e câmaras municipais, 2.300.000 euros divididos para todos os 22 municípios do Pais.

De acordo com o Governo, o programa procura financiar projectos identificados e priorizados conjuntamente pelas câmaras e associações locais, e que se encontram nos Planos Estratégicos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS) já aprovados.

Os projectos terão uma duração de 12 a 18 meses e um prazo de implementação até 31 de Julho de 2022.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top