• Save

São Vicente: Recursos humanos constituem o requisito básico para a prestação de um serviço público de qualidade – responsável Polícia Nacional

Mindelo, 13 Set (Inforpress) – O comandante regional da Polícia Nacional em São Vicente defendeu hoje que os recursos humanos constituem o “requisito básico” para a prestação de um “serviço público de qualidade”, daí que a aposta deverá ser na capacitação.

Alírio Silva fazia esta consideração no acto de encerramento, no Mindelo, da formação em “Metodologia de Investigação Criminal- Técnicas e procedimentos de investigação criminal”, promovida pela Polícia Nacional desde a última segunda-feira até esta sexta-feira.

O objectivo foi atingido, segundo a mesma fonte, com “reconhecido êxito”, pois a formação deixa a mensagem de que “para responder aos crescentes e complexos desafios do dia-a-dia a melhor aposta da instituição policial, deverá ser na capacitação dos seus quadros elevando o grau de preparação, de treino e rigor técnico e científico dos recursos humanos”.

“Esta formação materializa o princípio de que os recursos humanos constituem o requisito básico para a prestação de um serviço público de qualidade”, reforçou, apelando aos formandos a tirarem o “melhor proveito” do curso “disseminando as boas prácticas e enobrecendo a instituição que representam”.

Então, segundo o responsável da PN, a capacitação é, sem dúvida, “matéria de interesse nacional”, na medida em que “o sucesso do cumprimento da missão das forças policiais depende não apenas dos meios que lhe são postos à disposição, mas, essencialmente, da qualidade dos seus recursos humanos, no pressuposto das boas práticas e da cooperação bilateral das congéneres policiais”.

A cerimónia contou ainda com a coordenadora sénior do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e Crime (ONUDC) em Cabo Verde, Cristina Andrade, também parceira na organização e para quem o resultado da acção formativa foi conseguido graças a “expertise dos formadores”, mas pela “contribuição, empenho e seriedade dos formandos”.

Cristina Andrade considerou que com as técnicas discutidas os policiais estão “mais equipados” para contribuir para a prevenção e combate à criminalidade.

Por isso, segundo a mesma fonte, a ONUDC “reitera o compromisso em continuar a apoiar o Governo e a sociedade civil na prevenção e combate ao narcotráfico e criminalidade organizada em prol do desenvolvimento sustentável”.

A conselheira política da Embaixada de Estados Unidos da América, Molly Runyon, em representação do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América (INL), que financia o projecto, disse, por seu lado, que os agentes policiais estão na “linha de frente” para proteger Cabo Verde de muito dos seus problemas sociais, económicos e de direitos humanos.

“E ter o conhecimento e formação para prontamente e profissionalmente investigar e responder, pode fazer a diferença entre ver a justiça sendo feita e deixar os criminosos saírem impunes”, assegurou Molly Runyon, para quem os agentes da Polícia desempenham um “papel crucial” na protecção e no atendimento das comunidades.

“E a vossa preparação e formação é um dos investimentos mais importante que o vosso país pode fazer”, concretizou.

Na formação, que contou com total de 30 elementos da Polícia Nacional da região de Barlavento, participaram ainda outras entidades como Polícia Judiciária e magistrados.

Esta actividade está inscrita no âmbito de um Projeto Mundial CRIMJUST do ONUDC, que visa, segundo os promotores, “reforçar a investigação criminal e a cooperação criminal ao longo da rota da cocaína na América Latina, Caribe e África Ocidental”.

LN/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap