São Vicente: Nilton Silva candidata-se nas directas regionais do PAICV mas diz que não será candidato às autárquicas (c/áudio)

Mindelo, 07 Nov (Inforpress) – Nilton Silva, 45 anos, professor de profissão, lançou hoje, publicamente, a candidatura à liderança da Comissão Política Regional de São Vicente do PAICV, mas avisou que, caso vencer, não será candidato nas próximas eleições autárquicas.

O candidato, que concorre ao cargo com o actual líder local do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), em São Vicente, Alcides Graça, no escrutínio do dia 24, prometeu, no entanto, que no dia seguinte, caso vencer, iniciará contactos com personalidades mindelenses, auscultará os militantes e escolherá um “candidato sondado”.

Tudo feito, como reforçou, em “sintonia perfeita” com os órgãos nacionais do partido, que têm a “última palavra”, até porque, como assumiu, candidato do partido ou independente à câmara de São Vicente “não há problema”.

“O PAICV está sempre aberto ao diálogo com a sociedade para encontrar o melhor para São Vicente e um candidato por São Vicente e que vença as autárquicas”, reforçou.

Ao justificar a sua candidatura, Nilton Silva, que terá como vice-presidentes da Comissão Política Regional de São Vicente do PAICV Maria Helena de Pina e Graciano Nascimento, disse que o faz para se colocar “inteiramente ao serviço do PAICV, despido de qualquer ambição de ordem pessoal”, numa lista, declarou, “intergeracional” e que “respeita a paridade”.

“Defendemos um PAICV como um sistema e para isso devemos respeitar os Estatutos, estar em sintonia com os órgãos nacionais, legitimamente eleitos, de forma a contribuir para um melhor ambiente partidário, na ilha e no País”, ajuntou o candidato.

Por isso, disse assentar a sua candidatura em cinco pilares, que nomeou, o primeiro dos quais a organização, coordenação e mobilização, para “fortalecer as estruturas” do partido, e com um plano “detalhado e organizado de mobilização” na ilha, o segundo o reforço do trabalho político/partidário e, como terceiro pilar, uma comunicação interna e externa “eficiente e com qualidade”.

O quarto pilar, segundo a mesma fonte, assenta na formação dos militantes para participação política e cívica, e o quinto na “afectividade, união e aproximação” para fazer do PAICV, em São Vicente, um partido “de todos, e para todos, uma verdadeira família”.

Dos órgãos centrais do partido, o candidato disse esperar um “comportamento equidistante” das candidaturas neste processo de eleições directas regionais, e que a “democracia interna reine” durante as eleições.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap