São Vicente: Ministério da Cultura e CNAD entregam Cartão de Artesão a 20 artesãos nacionais (c/áudio)

Mindelo, 28 Nov (Inforpress) – O Ministério da Cultura e o Centro Nacional de Arte Artesanato e Design (CNAD) entregaram hoje, no Mindelo, a Carta e o Cartão de Artesão e selos “Created in Cabo Verde” a 20 artesãos nacionais com mais de 65 anos.

A Carta e o Cartão de Artesão dá a possibilidade desses profissionais se inscreverem na Segurança Social e comercializar os seus produtos com o selo “Made In Cabo Verde”.

Em declarações à imprensa, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, disse que com a entrega está a cumprir mais “um dos grandes compromissos” que é “formalizar” todo o sector ligado às indústrias criativas e às artes.

“A partir do momento em que o artesão tem o seu cartão e está inscrito na Segurança Social todo o seu rendimento passa a ser tributado e passa a ser controlado no sentido de percebemos qual é o contributo do sector do artesanato no Produto Interno Bruto (PIB)”, explicou o ministro.

No entanto, segundo o governante, o mais importante é começar o papel de substituir o artesanato “não cabo-verdiano ou não de origem cabo-verdiana” que está a ser vendido como sendo de Cabo Verde, tendo adiantado que os produtos que foram encontrados nas lojas sem o selo do CNAD serão apreendidos.

“É um processo longo, dará poder ao sector do artesanato e às próprias polícias depois de um período de formação para removerem das ruas tudo o que está a ser vendido de forma falsificada, errada ou que não tenha um verdadeiro selo de produto cabo-verdiano”, acrescentou Abraão Vicente.

Com o diploma de certificação dos artesãos, segundo o ministro, esses profissionais já podem participar no sistema de ensino formal e informal e ministrar formações por iniciativa própria.

O passo seguinte, revelou, é estender esse processo para todos os outros sectores das indústrias criativas de forma a reconhecer o músico de profissão e o artista plástico de profissão, entre outros.

Abraão Vicente adiantou que foram contemplados com a Carta e o Cartão de Artesão os mestres artesãos, que são os “depositários de um património imaterial” que “não se pode perder”. Mas, referiu, os jovens artesãos que queiram se inscrever devem e passar pela fase de certificação.

Na ocasião, foi apresentada uma plataforma que ajuda a identificar as lojas onde se pode vender o artesanato “Made In Cabo Verde” ou artesãos para encomendar peças.

CD/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap