• Save

São Vicente: Jorge Carlos Fonseca a favor da descentralização das comemorações do 05 de Julho

Mindelo, 11 Jun (Inforpress) – O Presidente da República posicionou-se hoje, no Mindelo, como um defensor da descentralização das celebrações do 05 de Julho em países amigos e da diáspora cabo-verdiana, à semelhança do que faz Portugal com o 10 de Junho.

Em declarações à Inforpress, à margem de uma actividade desportiva, no Centro de Estágio do Mindelo, enquadrada nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca disse que, inclusive, já havia falado do assunto com antigos primeiros-ministros e com o actual presidente da Assembleia Nacional.

“Não só não é impossível como tenho sido um defensor de que devemos descentralizar as comemorações do 05 de Julho, Dia da Independência”, acrescentou o chefe de Estado, que não coloca de parte a possibilidade de se poder fazer as celebrações num país onde haja uma diáspora cabo-verdiana, como Portugal, Estados Unidos, França ou Senegal, entre outros.

“Mas, porque não, também, já agora, em São Nicolau, na Brava, no Fogo ou em Santo Antão”, ajuntou Jorge Carlos Fonseca, que considerou ainda que as comemorações do 05 de Julho têm sido “institucionais, formais e muito ritualizadas” e, por isso, passam “um pouco à margem do dono do 05 de Julho que são os cabo-verdianos”.

“Talvez, até isso, possa contribuir para uma maior apropriação das principais datas nacionais por parte dos cabo-verdianos lá onde estiverem”, notou o chefe de Estado.

Jorge Carlos Fonseca, acompanhado do seu homólogo Marcelo Rebelo de Sousa e dos primeiros-ministros de Cabo Verde e de Portugal, Ulisses Correia e Silva e António Costa, respectivamente, participou na tarde de hoje num encontro com cerca de 160 jovens futebolistas sub-15 de cinco clubes de São Vicente, todos equipados com as cores da selecção de Portugal.

O momento foi marcado pela presença do futebolista luso-cabo-verdiano Eliseu, campeão europeu por Portugal, que foi portador de uma réplica do troféu do Euro 2016, que exibiu aos mindelenses.

Na ocasião, o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Humberto Coelho, classificou de “óptimas” as relações com a Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), com quem a federação já manteve várias reuniões de trabalho, como assinalou, pelo que a ideia é estabelecer “alguns protocolos”, principalmente na área da formação, da arbitragem e do dirigismo.

“É aí que Portugal está a evoluir cada vez mais e será útil não só para Cabo Verde como para os países lusófonos”, sintetizou o antigo futebolista do Benfica e da selecção de Portugal.

“Este é um país de talentos futebolístico, há muitos futebolistas a jogar em equipas estrangeiras, que não Portugal, e Cabo Verde é um país que devemos ajudar pois de facto tem talentos e uma juventude que tem uma paixão muito grande pelo futebol”, precisou.

Por outro lado, Humberto Coelho considerou “fundamental conectar a língua com o desporto” e juntar todos os países que falam a língua portuguesa o que iria possibilitar um intercâmbio “muito forte”, não só na área do jogo em si, mas também em outras que são fundamentais para o desenvolvimento do futebol.

Por fim, ao responder a uma questão da Inforpress, Humberto Coelho homenageou Carlos Alhinho, seu antigo colega na equipa do Benfica da década de 70.

“Estar na ilha onde nasceu Carlos Alhinho traz-me uma grande saudade dele, é a primeira vez que venho a Cabo Verde e é óptimo estar neste país onde nasceu um grande amigo e um grande jogador de futebol”, concluiu o agora vice-presidente da FPF.

Um desfile militar pelas ruas do Mindelo, envolvendo militares cabo-verdianos e portugueses, e um encontro com a comunidade portuguesa radicada em São Vicente são os derradeiros pontos do programa das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em Cabo Verde.

AA/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap