São Vicente/Escola ballet clássico: “A ideia é montar uma metodologia que pode ser replicada em qualquer lugar” responsável da ALAIM (c/áudio)

Mindelo, 21 Jan (Inforpress) – A cidade do Mindelo conta a partir de hoje com uma escola de ballet clássico, que funciona na Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM) e terá uma metodologia que pode ser replicada em qualquer lugar.

A garantia foi dada hoje à imprensa pela gestora da academia, Janaína Alves, durante a apresentação do projecto “Núcleo de Ballet Clássico da ALAIM”, incluído na programação da 5ª edição do Over 12.

Este projecto, segundo a mesma fonte, terá supervisão técnica e pedagógica da professora Vanessa Fernandes, da Escola de Dança do Funchal (Madeira) e conta com a parceria da Secretaria da Cultura do Estado do Piauí, (Brasil), que irá contribuir com o envio de professores formados na área.

“Fazer um projecto que se sabe que vai ser administrado por gente que entende dá logo outra segurança, dá outra estabilidade”, considerou Janaína Alves, adiantando que o “Núcleo de Ballet Clássico da ALAIM” está sendo pensado há dois anos.

Algo feito, ajuntou, com “muita responsabilidade” e que terá uma fase de adaptação de Março até Julho, para se poder montar o esquema e a metodologia a serem implementados

“A ideia é montar uma metodologia que pode ser replicada em qualquer lugar”, garantiu a mesma fonte.
Por agora, as audições estão abertas até Março, mês previsto para chegada da professora Vanessa Fernandes, que fará tutela e também da professora brasileira Sidarta Lima, que ministrará as aulas, primeiro para as crianças, a partir dos 03 anos, e de seguida para os adolescentes.

“Depois, vão ser feitos os exames para a estruturação das turmas de baby quest, intermediário e avançado”, explicou Janaína Alves, acrescentando que o projecto conta ainda com uma turma para adultos, que começou a ser preparada desde Novembro.

Ainda enquadrado no Over 12, 12 horas de várias actividades culturais, do 4º aniversário da ALAIM, fez-se a inauguração na tarde de hoje da placa que atribui a nome da nave principal da academia à cantora luso-cabo-verdiana Sara Tavares.

Sara Tavares, que se fez representar na cerimónia pelo dançarino António Tavares, é madrinha da ALAIM e foi, conforme a direcção, uma das primeiras pessoas a ajudar na criação do espaço que nasceu em 2015, tendo como mentores Janaína Alves e João Branco.

A quinta edição do Over 12 continua até às 3:00 da madrugada, com apresentações das peças “Sophia”, do Grupo de Teatro do Centro Cultural Português, que se estreia no Mindelo e “Será que a gente influencia o Caetano?”, da Companhia Tartufaria de Actores, do Rio de Janeiro, Brasil,

Para além disso, terá música com o Coro Voz d’Alma, liderado por Margarida Martins, dança com o grupo ‘Streets Breakers’ e Rudson Santos e sessão de cinema com a curta-metragem do “A menina do vestido azul”, de Ivanildo da Cruz e Nelson Custódio.

LN/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap