São Vicente: Centro socioeducativo recebe donativo de cerca de 800 contos para apoiar crianças e famílias carentes

Mindelo, 11 Jan (Inforpress) – O Centro Socioeducativo Novos Amigos da Ribeira de Craquinha, em São Vicente, recebeu hoje um donativo de cerca de 800 contos para apoiar 320 crianças do seu jardim infantil e 516 famílias inscritas no Cadastro Social Único.

Esta informação foi avançada à Inforpress pelo responsável do centro, José Lopes Fortes, durante a entrega do donativo, conseguido através do projecto “Uma criança um Ssrriso”, coordenado pelo activista social Camille Weber e apoiado por cidadãos luxemburgueses.

Trata-se, segundo a mesma fonte, de cerca de três toneladas de produtos cujo valor ronda até os 800 mil escudos cabo-verdianos divididos entre roupas, frangos congelados, outros géneros alimentícios, brinquedos, vestuários, materiais didáticos, de secretaria e de administração.

“Vamos abarcar 320 crianças do nosso jardim e 516 famílias que são beneficiadas por cabazes alimentares mensais porque, além deste projecto, temos parceiros como a câmara de São Vicente e Ministério da Família e Inclusão Social para apoiar as famílias inscritas no Cadastro Social 1 e 2 porque o objectivo é erradicar a pobreza, mas o nosso foco são as crianças”, explicou José Lopes Fortes.

Conforme o coordenador Centro Socioeducativo Novos Amigos da Ribeira de Craquinha, o donativo “veio em boa hora” porque o centro iniciou o ano “um bocado turbulento” porque teve “grandes prejuízos com as chuvas”.

“Conseguimos recuperar equipamentos materiais didáticos, brinquedos, e também géneros alimentícios e também conseguimos materiais de higiene e um lote de equipamentos em termos pedagógico que nos vai melhorar significativamente”, destacou ainda a mesma fonte, realçando que o segundo ano do projecto “Uma criança um sorriso” deu “mais frutos” porque conseguiram abarcar também a ilha de Santo Antão.

Por sua vez, a representante dos benfeitores luxemburgueses, Maria do Livramento, que é mãe da activista social Camille Weber, a preocupação é ajudar essas crianças como podem para talvez, no futuro, conseguirem alguém que apadrinhe o projecto.

“Por enquanto vamos ajudando as crianças com alimentos, medicamentos, materiais escolares, roupas e produtos de higiene”, explicou Maria do Livramento, que é santantonense emigrante no Luxemburgo há 56 anos.

Conforme a mesma fonte, foram cerca de 50 luxemburgueses que apoiaram a iniciativa e graças a esse apoio conseguiram contemplar duas instituições em São Vicente e uma na comunidade de Lagoa, em Santo Antão.

“Espero que tenhamos mais apoio de cabo-verdianos em Luxemburgo porque poucos cabo-verdianos a fazerem doação”, apelou.

CD/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos