São Lourenço dos Órgãos: Autarquia considera “falsas e demagógicas” as declarações do PAICV Santiago Norte (c/áudio)

João Teves, 14 Fev (Inforpress) – O vereador da Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos Valdano Furtado considerou hoje “falsas e demagógicas” as declarações do presidente da CPR do PAICV em Santiago Norte sobre a situação socio-económica do município.

“As declarações do presidente da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV em Santiago Norte, António Fernandes, estão imbuídas de má-fé e tremenda demagogia política, assente no populismo exacerbado, tentando ludibriar e confundir os laurentinos”, disse Valdano Furtado que responde pelos pelouros da Juventude, Cultura e Desporto daquela edilidade.

Em conferência de imprensa, Valdano Furtado considerou ainda que as declarações de António Fernandes são “falsas e maldosas e põem em causa a imagem e bom nome” dessa edilidade que, conforme disse, “tem primado pela ética, transparência e rigor na gestão da coisa pública”.

Esta quarta-feira aquele dirigente do maior partido da oposição tinha denunciado um “aumento generalizado” do desemprego e da pobreza em São Lourenço dos Órgãos, responsabilizando o Governo e câmara pela actual situação vivida pelas famílias, e criticado “má gestão” da água e a “gestão intransparente” de obras públicas nesse município.

O porta-voz da edilidade laurentina que se fez acompanhar da vereadora da Administração de Finanças, Comércio e Emprego, Surzy Reis, afirmou que a própria análise feita pelo PAICV vai em contradição com a narrativa que fez sobre esse município do interior de Santiago.

É que, segundo ele, o próprio PAICV reconhece que São Lourenço dos Órgãos é um dos municípios mais afectado pelas sucessivas secas e maus anos agrícolas para depois vir dizer que não há falta de água.

Por isso considerou que as declarações de António Fernandes, que não vive nesse município do interior de Santiago, são “falsas” tendo em conta que, segundo ele, toda a água produzida no concelho vem dos furos e com três anos consecutivos de seca não se pode ter abundância de água, mas sim “alguma dificuldade”.

Sobre a questão da água, Valdano Furtado assegurou que a câmara está a par dessa dificuldade junto da população e informou que, desde o mês de Dezembro de 2019, a edilidade alugou dois auto-tanques privados e os colocou à disposição da empresa Águas de Santiago (AdS) para que esta possa fazer a distribuição de água em diferentes localidades.

Em relação à taxa de desemprego que, segundo o PAICV, “quase que triplicou de 2016 a esta data”, a mesma fonte classificou de “totalmente falsos” os números apresentados pela oposição, revelando que a edilidade laurentina distribuiu 12 kit empreendedorismo jovem, em 2018, mais 14 em 2019 e prevê, para este ano, mais 30 para o auto-emprego jovem.

No entanto, Valdano Furtado assume que, por ser um município rural e com três anos de seca, é natural que o desemprego seja um “problema” tendo em conta que, segundo ele, a maioria das pessoas ganhava a vida através da agricultura e da criação de gado.

“A câmara esteve sempre presente e de 2017 a esta parte podemos afirmar com toda certeza que 1500 famílias foram empregadas. De momento, temos mais de 20 pessoas a fazerem limpeza do perímetro florestal de zona protegida da Serra de Pico de Antónia e nas diferentes frentes de obras que estamos a construir no município”, vincou o titular do pelouro da Juventude.

Em relação à questão das obras inacabadas, em que o PAICV disse que há algumas situações que dão ideia de alguma “intransparência, para não dizer mesmo cheirar alguns laivos de corrupção”, disse que não sabem se a oposição tem memória curta ou está a fazer propositadamente como estratégia eleitoralista.

A este propósito apontou o mercado, onde disse foram gastos mais de 120 mil contos e o cemitério municipal como obras por concluir e placa desportiva de Pico de António como “obra fantasma” deixadas pela governação do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV).

“Portanto, fazem tudo isso sobre a força de uma oposição desonesta, maquiavélica e que quer, nesta altura de pré-campanha, confundir as pessoas sobre aquilo que é o trabalho que esta equipa camarária está a fazer para o bem dos laurentinos”, enfatizou o porta-voz da autarquia laurentina.

FM/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap