Santo Antão: Situação da pesca em Tarrafal de Monte Trigo está cada dia mais complicada – associação

Porto Novo, 13 Mai (Inforpress) – O presidente da Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo, no Porto Novo, Santo Antão, Isaías Pires, chamou, hoje, atenção para a situação da pesca nessa comunidade que, a seu ver, “está cada vez mais complicada”.

Isaías Pires, abordado pela Inforpress, considera que o sector pesqueiro nessa zona, com quase uma centena de operadores, está a atravessar “muitas dificuldades”, mormente a nível de conservação e tratamento do pescado.

Além disso, os pescadores locais têm estado a reclamar a construção de infra-estruturas de apoio (um pequeno cais de pesca) e apoios do Governo na melhoria das embarcações.

“As coisas estão mesmo complicadas”, lamenta o presidente da Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo, que se queixa da “demora” na concretização das promessas de investimentos, por parte do Governo, nas pescas nessa localidade, onde se localiza um dos maiores bancos de pesca do país (o banco do Noroeste).

O Governo, já por várias vezes, prometeu investimentos no sector das pescas em Tarrafal de Monte Trigo, num montante de 200 mil contos, para atender aos constrangimentos existentes em relação à conservação, tratamento e comercialização do pescado, mas também com relação à ausência de infra-estruturas de apoio à actividade pesqueira.

Essa localidade dispõe de uma máquina de produção de gelo com a capacidade para produzir, diariamente, somente 500 quilos, numa altura em que as necessidades dos operadores andam à volta de duas toneladas de gelo por dia.

Em finais de Janeiro, o ministro que responde pela Economia Marítima, José Gonçalves, de visita ao Tarrafal de Monte Trigo, prometeu resolver o problema de conservação e tratamento do pescado nessa zona, mas, segundo Isaías Pires, “ainda os pescadores continuam à espera”.

A edilidade portonovense diz ter entregue, em Abril, alguns materiais e equipamentos de pesca à comunidade piscatória do Tarrafal de Monte Trigo, apoios que se estenderam aos pescadores na cidade do Porto Novo.

JM/ZS

Inforpress/Fim