Presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras recorda Ovídio Martins como “grande e bom” poeta

Cidade da Praia, 07 Nov (Inforpress) – O presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras (ACL), David Hopffer Almada, recordou hoje Ovídio Martins como um “grande e bom” poeta que, apesar das dificuldades, conseguiu escrever ”bons livros e grandes poesias”.

David Hopffer Almada falava aos jornalistas à margem da sessão de homenagem ao poeta e Combatente da Liberdade da Pátria, Ovídio Martins, organizada pela ACL e a Fundação Amílcar Cabral, na Cidade da Praia.

Nas suas declarações, o presidente da ACL começou por recordar Ovídio Martins como “um grande escritor, um grande poeta” que “com as dificuldades todas que ele teve conseguiu, entretanto, escrever bons livros, sobretudo grandes poemas”.

“Nós não podemos deixar de lhe prestar homenagem enquanto Academia Cabo-verdiana de Letras”, referiu Hopffer Almada, completando que tal iniciativa segue a caminhada que a ACL vem fazendo no sentido de estar a rememorar os grandes autores e escritores cabo-verdianos para que a memória do povo das ilhas mantenha viva a lembrança daqueles que constituíram “um orgulho para a Nação, por aquilo que escreveram e por aquilo que fizeram”.

Para Hopffer Almada “um bom poeta é bom em todos os tempos”.

Entretanto afirmou quer há necessidade que aparecem outros de igual valia de Ouvídio Martins.

“Não exatamente igual porque cada pessoa é uma pessoa e tem a sua capacidade, a sua arte e a sua veia artística, a sua veia poética”, acrescentou o presidente da ACL para quem “o importante é que apareçam mais, seguindo o exemplo dos outros, daqueles que o antecederam”.

Hopffer Almada disse ainda que a ACL está a organizar iniciativas do tipo que vão para diversos pontos do país.

A próxima homenagem que se vai fazer, avançou, é aos Claridosos, na Praia e em São Vicente.

“Assim por diante, vamos organizando e não temos pré-fixado, a medida que a gente constata a necessidade ou tenha oportunidade de fazer uma consagração”, finalizou.

Ovídio Martins, nascido em São Vicente, em 1928, foi um escritor, poeta e jornalista cabo-verdiano.

O seu envolvimento em actividades de promoção da independência valeu-lhe a pena a prisão e o exílio nos Países Baixos. Dois poemas seus, Flagelados do Vento Leste e Comunhão, encontram-se no CD Poesia de Cabo Verde e sete poemas de Sebastião da Gama, de Afonso Dias.

GSF/AA

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap