Preços da oferta turística aumentaram em termos homólogos 21,3% no quarto trimestre de 2022 – INE

Cidade da Praia, 19 Jan (Inforpress) – A taxa de variação homóloga registada no quarto trimestre de 2022, pelo Índice de Preços Turístico (IPT), foi de 21,3%, resultado inferior em 1,0 ponto percentual (p.p.) face ao trimestre anterior, revela fonte do INE.

Segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação trimestral observada no quarto trimestre de 2022 foi de 2,4%, inferior em 5,3 p.p. ao valor registado no trimestre anterior que apresentou uma variação de 7,7%, reflexo do padrão de sazonalidade deste indicador. No quarto trimestre de 2021 esta variação tinha sido positiva e relativamente intensa (3,3%), situando-se -0,9 p.p. abaixo da actual.

Conforme o INE, a classe dos hotéis, cafés e restaurantes apresentou uma variação homóloga de 21,3%, 1,1 p.p. abaixo da que se verificou no trimestre anterior. A esta variação correspondeu uma contribuição de 21,1 p.p. para a variação do IPT Total.

A componente do alojamento, que corresponde a 63,05% da despesa turística, com especial destaque para os Hotéis que correspondem a 59,07% da despesa turística total, registaram uma contribuição positiva (18,8p.p.).

A Restauração, cujo peso representa cerca de 35,7% da despesa turística, apresentou uma contribuição positiva (2,2 p.p.) de mesmo sinal (3,11 p.p.) à do trimestre anterior.

O movimento dos preços das dormidas em hotéis (com uma contribuição de 18,8p.p.), das residenciais (estes com uma maior contribuição positiva de (0,007 p.p.) e das pousadas (com uma contribuição de 0,004 p.p.), foram completamente determinantes para este comportamento do IPT total.  A componente de Cafés, Bares e Similares apresentou uma contribuição de 0,046 p.p.

Os aldeamentos turísticos e hotéis apartamentos apresentaram contribuições de 0,02p.p. e 0,060p.p. respectivamente. O nível médio dos preços das restantes componentes manteve-se praticamente constante em relação ao trimestre homólogo.

Já a taxa de variação no trimestre em análise foi de 2,4%, inferior em 5,4 p.p. à registada no trimestre anterior em que se situará em 7,7%. No mesmo trimestre do ano anterior verificou-se uma variação em cadeia (trimestral) de 3,3%.

Para o INE, estes resultados são a consequência de movimentos sazonais de natureza mensal, com particular incidência na componente de Alojamento.

De acordo ainda com a mesma fonte, a variação deste trimestre face ao anterior revela um aumento dos preços dos Serviços de Alojamento. Nos serviços prestados por hotéis e por pensões verificou-se um aumento dos preços (3,6% e 6,0%, respectivamente).

Nos serviços prestados pelos hotéis-apartamentos, aldeamentos turísticos e residenciais, segundo o INE, verificaram-se diminuições dos preços (3,1%, 0,7% e 0,1% respectivamente).

Os preços referentes a restaurantes, café, bares e similares e os restantes serviços turísticos registaram variações nulas face ao trimestre anterior.

Em relação ao ano de 2022, conforme o Instituto Nacional de Estatística, os preços dos serviços turísticos apresentaram uma taxa de variação de -1,0% face ao ano anterior, o que corresponde a uma diminuição do nível médio dos preços face a 2021.

Registaram-se quebras de preços médios anuais em todas as ilhas, excepto a ilha de Santiago em que a variação foi nula. A ilha do Sal foi a que apresentou a quebra de preços mais intensa (-1,2%), seguida de Santo Antão com -1,1%. O movimento do IPT total é determinado pela classe dos hotéis, restaurantes, cafés, bares e similares que registaram uma variação de preços médios de -1,0%, face ao ano anterior.

O inquérito diz também que a nível das ilhas, todas apresentaram variações trimestrais positivas, excepto a ilha de Santiago, o que determinou o movimento do IPT Nacional.

Enquanto que São Vicente e Sal registaram variações trimestrais de 3,5% e 2,5% respectivamente. As ilhas de Boa Vista e Santo Antão registaram variações de 1,8% e 1,2% enquanto Santiago registou variação nula.

O Índice de Preços Turísticos é um indicador que tem por finalidade medir a evolução no tempo dos preços de um conjunto de bens e serviços considerados representativos da estrutura de consumo dos turistas.

DG/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos