PR quer que a comunidade internacional continue a apoiar e a trabalhar com Cabo Verde face às múltiplas crises

Cidade da Praia, 12 Jan (Inforpress) – O Presidente da República manifestou o desejo de a comunidade internacional continuar a apoiar e trabalhar com Cabo Verde em prol da consolidação e aprofundamento das relações, sobretudo no esforço coletivo para mitigação dos efeitos das múltiplas crises.

José Maria Neves, que discursava perante os representantes do corpo diplomático acreditado em Cabo Verde, depois de receber os habituais cumprimentos de Ano Novo, agradeceu pelo “continuado e imprescindível” apoio e a solidariedade da parte dos parceiros internacionais para o país lidar com as dificuldades e mitigar os efeitos da tripla crise.

“Auguro que continuem a trabalhar em prol da consolidação e o aprofundamento das relações de amizade e cooperação entre Cabo Verde e os vossos respectivos países e organizações internacionais, mormente neste esforço colectivo internacional de mitigação dos efeitos das múltiplas crises, numa conjuntura complexa e recheada de incertezas”, sublinhou.

Segundo o chefe de Estado, 2022 foi um ano de muitas privações e enormes desafios a nível mundial e Cabo Verde não foi exceção. A pandemia da covid-19, a crise energética, associadas às alterações climáticas, agravaram sobremaneira os constrangimentos e as vulnerabilidades estruturais do país, tendo em conta a sua condição de Pequeno Estado Insular em Desenvolvimento.

Por outro lado, José Maria Neves sustentou que o agravamento da dívida pública e a degradação dos indicadores sociais constituem enormes desafios para o alcance das metas preconizadas nos quatro planos nacionais e fixadas pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável na Agenda 2030 das Nações Unidas e pela Agenda 2063 da União Africana.

Perante esses desafios, avançou que Cabo Verde tem apelado à comunidade internacional, no sentido de considerar a possibilidade de transformar a dívida dos Pequenos Estados, Insulares em Desenvolvimento (SIDS, na sigla em inglês) em investimentos climáticos e na educação, na saúde e no combate à pobreza e às desigualdades”, apontou.

Para o Presidente da República, perante a actual conjuntura, o mundo precisa de um multilateralismo efectivo, inclusivo, preventivo, dissuasivo e cooperativo e de um sistema internacional baseado em valores universais como a paz e segurança, os direitos humanos e o desenvolvimento sustentável.

Por outro lado, considerou ainda que as emergências dessas múltiplas crises têm aprofundando o fosso que separa África do desenvolvimento sustentável para todos, aumentando, ainda mais, a sua dependência em relação a domínios vitais, tais como a segurança, a energia, a alimentação, o digital e a saúde.

“Defendo que para se mitigar essas crises, é necessário, desde logo, fazer o nosso trabalho de casa. Há que, a nível do continente, realizar, efectivamente, a reforma da União Africana, criar um verdadeiro sistema de governança multinível, com a distribuição do trabalho entre a União, as organizações sub-regionais e os Estados”, acrescentou.

Em representação do corpo diplomático, o embaixador de São Tomé e Príncipe em Cabo Verde, Carlos Alberto Pires Gomes, garantiu que todos os países e organizações internacionais presentes no arquipélago estão e estarão engajados em apoiar e ajudar Cabo Verde no caminho da renovação, da construção e da retoma.

O diplomata disse ainda que Cabo Verde pode continuar a contar com os apoios e a colaboração dos seus parceiros bilaterais e multilaterais nas diferentes vertentes de desenvolvimento, e que estão a acompanhar os investimentos que a autoridades cabo-verdianas têm feito nas diferentes áreas de desenvolvimento para construção de um país mais sustentável e seguro.

Na mesma linha, congratulou-se com a coragem, resiliência, determinação e o exemplo de Cabo Verde face às crises, mas também pelas estratégias e medidas de políticas criadas pelo Governo para a retoma da economia e bem-estar social.

AV/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos