Porto Novo: PAICV acusa câmara municipal de “falta de visão” na localização do mercado de peixe

Porto Novo, 25 Jan (Inforpress) – O primeiro secretário do PAICV no Porto Novo, em Santo Antão, Jairson Tavares, acusou hoje a edilidade porto-novense de “falta de visão” na localização do mercado de peixe que, quatro meses após inauguração, continua “completamente vazio”.

“A obra ficou bonita. Sim ficou, mas completamente vazia, sem contar com os custos de funcionamento e manutenção”, avançou Jairson Tavares, segundo o qual “isso se chama falta de visão”.

A localização é, para o líder local do principal partido da oposição, “um factor estratégico, sobretudo, no que tange ao sector económico”, considerando que “se a edilidade tivesse ouvido os porto-novenses o mercado teria sido localizado no local apropriado e os resultados, certamente, seriam outros”.

Numa reacção às declarações do dirigente do PAICV, o vereador responsável pelo pelouro do desenvolvimento económico, Valter Silva, explicou que “todas as pedras do mercado foram distribuídas” às peixeiras.

“Aliás, Porto Novo, segundo o novo Recenseamento Geral das Pescas, tem mais de sete dezenas de vendedores de pescado.

Diariamente, no mercado tem peixeiras que vendem e preparam o seu pescado no local”, avançou Valter Silva, reconhecendo, porém, que “ainda o número de ocupantes não é o desejado”.

Ainda há operadores que insistem na venda ambulante, porque as pessoas também compram e isso dificulta que todos fixem no mercado, informou ainda este autarca, que aproveita para “pedir aos munícipes que procurem os mercados para comprar o pescado ou as verduras, pois, apresentam as melhores condições de higiene e não estão propícias as contaminações”.

A autarquia vai “apertar em termos de fiscalização proibindo a venda de pescado nas ruas”, disse ainda.

JM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos