Porto Novo: Moradores da Casa de Meio obrigados a comprar água proveniente da zona Sul para beber

Porto Novo, 19 Jan (Inforpress) – Os moradores da Casa de Meio, Porto Novo, são obrigados a comprar água proveniente da zona Sul deste concelho para beber, já que a água disponibilizada, localmente, através de um furo, “não tem qualidade” para ser consumida.

Quem diz é o líder associativo, Hipólito Lima, que explicou que a água disponibilizada em Casa de Meio, a partir de um furo, não serve para ser consumida, por ser uma “água salobra”, ou seja, com concentração elevada de sais, razão pela qual as pessoas são obrigadas a comprar, a 60 escudos, um vasilhame de 20 litros de água para beber, proveniente da zona Sul.

“A água do furo não tem qualidade para ser consumida. Por isso, as pessoas são obrigadas a comprar água de uma nascente na zona Sul do Porto Novo. Vinte litros de água custam 60 escudos”, explicou Hipólito Lima, adiantando que água produzida pelo furo é distribuída às casas através de uma rede domiciliária.

No município do Porto Novo, outras comunidades queixam-se da má qualidade de água para consumo, como é o caso também de Lajedos, onde os habitantes consomem “há mais de dois anos” uma água calcária, segundo o presidente da associação comunitária, Manuel Reis.

A comunidade de Lajedos, avançou este responsável, está, há mais de dois anos, a consumir uma água sem qualidade, apresentando uma concentração de sais acima dos padrões estabelecidos e que chega às casas das pessoas através de levada.

Da mesma forma, em Monte Trigo, os moradores têm vindo a reclamar da qualidade de água consumida, assim como em Chã de Branquinho.

Em relação a Lajedos, a Câmara Municipal do Porto Novo disse estar a envidar esforços para a resolução do problema, enquanto que em Monte Trigo, o Governo já anunciou a instalação de uma unidade de dessalinização para produção de água potável.

JM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos