Porto Novo: Agricultores em Ribeira das Patas querem apoio do MAA na instalação de sistema de rega gota a gota

Porto Novo, 14 Ago (Inforpress) – Os agricultores em Ribeira das Patas, no Porto Novo, ainda utilizam o sistema de rega por alagamento, o que tem resultado no desperdício dos parcos recursos hídricos disponíveis nessa bacia hidrográfica, com impacto negativo na própria produção agrícola.

Por isso, os agricultores desse vale, um dos mais extensos da ilha de Santo Antão, desejam o “apoio” do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) na modernização do sistema de rega em Ribeira das Patas, que permita a rentabilização da “pouca água” disponível nessa zona agrícola.

No quadro do Poser (programa de promoção de actividades Socio-económicas rurais), executado pelo MAA, com financiamento o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), está a ser implementado no Porto Novo um programa de massificação de rega gota a gota.

O delegado do MAA, Joel Barros, garante que Ribeira das Patas é uma das localidades abrangidas no âmbito do programa de massificação da rega gota a gota no concelho do Porto Novo, contemplando dezenas de agricultores.

Em Ribeira da Patas e Ribeira dos Bodes, são cerca de 80 agricultores que vão poder, “dentro de pouco tempo”, rentabilizar água disponibilizada para irrigação e aumentar a produção, com a instalação de sistemas de rega localizada.

A instalação de sistema de rega localizada em todos os vales agrícolas no Porto Novo constitui, nesta altura, segundo este responsável, um dos principais desafios que se coloca à agricultura neste concelho, depois de “importantes investimentos” realizados na mobilização da água.

Alto Mira e Chã de Mato/Ponte Sul são outras zonas agrícolas, cujos agricultares já estão a ser contemplados com sistemas de rega gota a gota.

Também, na cidade do Porto Novo, 40 agricultores beneficiários dos projectos sobre a agricultura urbana, dispõem já de rega gota a gota, no quadro do Poser.

Há zonas agrícolas neste município com cobertura que ultrapassa os 90 por cento (%) com sistema de irrigação gota a gota, como é o caso da Ribeira da Cruz, já considerada “uma referência” em Cabo Verde no sector agrícola.

A problemática de gestão de água para agricultura em Santo Antão preocupa o MAA, que reconhece que “há muito desperdício de água” nesta ilha, sobretudo nos concelhos do Paul e Ribeira Grande.

Este ministério pretende, por isso, dotar Santo Antão de um plano sobre a gestão de água, conforme anuncio feito pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva.

Santo Antão, segundo o MAA, precisa de “um plano consistente de intervenção e melhoria de gestão de água”, que passa pelo aproveitamento da água que se perde nas ribeiras, mas, também, pela aposta na micro-irrigação, cuja taxa de cobertura e, ainda, “baixa”.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap