Policarpo de Carvalho pede demissão do cargo de presidente do conselho de administração da RTC

Cidade da Praia, 16 Jan (Inforpress) – O presidente do conselho de administração da Radiotelevisão Cabo-verdiana (RTC), Policarpo de Carvalho, pediu hoje a demissão do cargo para aguardar a decisão final da justiça sobre o caso de alegada agressão à sua esposa.

O presidente da RTC foi detido na quinta-feira, 12, por elementos da Polícia Nacional, indiciado da prática de três crimes de Violência Baseada no Género (VBG), tendo inclusive sido já apresentado ao Tribunal da Praia.

“Neste momento estou a apresentar aos cabo-verdianos (…)  a demissão da função para a qual fui nomeado, para aguardar a decisão da justiça”, disse Policarpo de Carvalho em conferência de imprensa, frisando que sai da RTC com muito orgulho, “pelo trabalho e pela passagem”.

Sobre o alegado caso de agressão alegou que a notícia publicada no jornal Santiago Magazine não faz “menor” sentido, facto que segundo ele, foi confirmado hoje pela sua esposa durante uma conferência de imprensa.

“É triste que neste país, quando há famílias com capacidade real, as pessoas tentam aniquilar. Fui para Europa com a minha família, passamos as férias entre Portugal, Bélgica, Holanda e Alemanha e voltamos na tranquilidade”, explicou Policarpo Carvalho.

O primeiro-ministro, instado hoje a pronunciar-se sobre o caso, disse que situações que indicam crimes da VBG “não casam com a presença à frente de uma instituição como a RTC”, e que cabe à Comissão Independente tomar uma posição.

“Se enveredarmos por esta via, há casos muito mais graves, há elementos do Governo que estariam demitidos e indiciados por casos muito mais terríveis”, denunciou Policarpo de Carvalho, acrescentando que “foi uma armação” dos seus “inimigos no Governo”.

Para Policarpo de Carvalho, não deveria haver nenhuma “proposta” do Governo quando está ainda “a braços” com a justiça para se esclarecer um caso, em que nada foi confirmado.

“Portanto, estou a deixar o cargo de cabeça levantada e da outra parte do processo houve claramente um golpe, muito bem montado, contra a minha pessoa”, concluiu.

Segundo uma fonte judicial, Policarpo de Carvalho, que foi presente no sábado, 14, ao tribunal, está a ser indiciado da prática de três crimes de violência baseada no género agravado.

O Ministério Público terá ordenado a detenção de Policarpo de Carvalho na sequência de uma denúncia feita por familiares e pessoas próximas da esposa.

De acordo com o ‘online’ Santiago Magazine, o presidente da RTC chegou recentemente de uma viagem com a esposa, durante a qual terá agredido a companheira, situação que levou os familiares da esposa a procurarem as autoridades para denunciar Policarpo de Carvalho, que acabaria detido pela Polícia Nacional.

O Ministério Público determinou a proibição de permanência de Policarpo de Carvalho na casa de morada de família, proibição de contacto e aproximação da vítima e apresentação periódicas às autoridades.

OM/CP
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos