PCA da ARME defende equilíbrio de género no campo das TIC

Cidade da Praia, 25 de Abr (Inforpress) – O presidente da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), Isaías Barreto, defendeu hoje na Cidade da Praia que é importante haver um certo equilíbrio de género no que diz respeito à participação das mulheres no ramo.

Isaías Barreto fez tais declarações à imprensa, à margem da Conferência sobre o “Papel das Mulheres nas TIC: Que Contributo para a Inclusão e a Igualdade de Género”, realizada pela ARME para assinalar o Dia Internacional das Mulheres nas TIC, que este ano se celebra na última quinta-feira de Abril, sob o lema: “Expandir Horizontes, Mudar Atitudes”.

“Se nós olharmos para presença das mulheres enquanto técnicas experts nesta matéria, a taxa de penetração, o índice de participação das mulheres são bastante diminutos, e é importante haver um certo equilíbrio de género no que diz respeito à participação das mulheres nas tecnologias de informação e comunicação”, disse.

É neste âmbito, explicou a mesma fonte, que a União Internacional das Telecomunicações definiu esta data como sendo o dia que se comemora a presença das mulheres no mundo da Tecnologias de Informação e Comunicação.

Ainda sobre este evento, Isaías Barreto afirmou que o “objectivo fundamental” é sensibilizar as mulheres, jovens e os profissionais a se enveredarem por esta área “tão importante” para o país e, naturalmente, para a economia mundial.

“Nós achamos que as mulheres têm um contributo muito importante a dar”, prosseguiu aquele responsável, citando que hoje em Cabo Verde se está a falar “muito” na equidade e igualdade do género, e que “as tecnologias de comunicação não fogem à regra”.

Mais adiante, Isaías Barreto cita, como exemplo, estudos na África Ocidental que apontam as mulheres como tendo 35% menos oportunidades no sector das tecnologias de informação e comunicação do que os homens.

Por outro, disse que a nível da Europa as mulheres representam apenas 17% de peritos nas áreas das TIC.

“As mulheres também naturalmente têm capacidade têm um potencial muito grande e podem dar um contributo ainda maior para este sector”, afirmou.

Finalizando, o PCA da ARME enfatizou que neste encontra há um painel constituído por várias mulheres “profissionais” que têm dado contributo “valioso”, que, no entanto, se se olhar para os números são “bastante diminutos” e precisam aumentar a participação das mulheres neste sector.

VC/GSF/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap