Ocean Race/São Vicente: Capitania dos Portos do Barlavento emite aviso de segurança à navegação marítima

Mindelo, 18 Jan (Inforpress) – A Capitania dos Portos do Barlavento emitiu na tarde hoje um aviso de segurança à navegação marítima, motivada pela passagem da regata Ocean Race entre os dias 20 e 25 de Janeiro, em São Vicente.

A mesma fonte informa que o canal marítimo entre São Vicente e Santo Antão vai estar condicionado à navegação nas coordenadas 16º 53.279´ N; 025º 00.055´W (canto sueste), 16º 52.790´N; 025º 00.803´W (canto sudoeste) 16º 54.717´N; 025º 01.915´W (canto nordeste) e 16º 54.751´N; 025º 00.080´W (canto noroeste).

“Por motivos de segurança, a navegação e o fundeio devem ser limitados e as embarcações deverão manter-se afastadas dos veleiros participantes da regata”, finaliza a nota da Capitania dos Portos do Barlavento.

Com um ano de atraso devido à pandemia, a edição 2023 do Ocean Race, disputada de quatro em quatro anos desde 1973, principiou no passado domingo, 15, em Alicante (Espanha), e termina no dia 01 de julho, em Génova (Itália).

Contando com Mindelo, em que se aguarda a chegado do primeiro veleiro às 22:00 de sexta-feira, 20, a regata terá sete etapas e 32 mil milhas náuticas (60 mil quilómetros), que atravessam quatro oceanos, quatro continentes e passam por nove cidades.

Na terceira etapa, os velejadores vão fazer uma travessia recorde de 12.750 milhas náuticas (24 mil quilómetros), com a duração de um mês, entre a Cidade do Cabo (África do Sul) e Itajaí (Brasil), através dos mares do Pacífico Sul e com passagem pelo Cabo da Boa Esperança e Cabo Horn, conhecido como o ‘fim do mundo’.

A prova é disputada pelos veleiros das categorias IMOCA 60 (18,3 metros) e VO65 (20 metros), sendo que os primeiros têm uma tripulação de cinco elementos, em barcos considerados “extremamente bem preparados e bastante rápidos”.

As embarcações da categoria VO65, por seu lado, são todas iguais, estiveram presentes nas duas últimas duas edições da prova, e têm sete tripulantes cada.

Segundo apurou a Inforpress, o percurso mais longo será feito apenas pelos superveleiros IMOCA 60, concebidos especialmente para grandes travessias no oceano e os veleiros da classe VO65 vão fazer apenas a primeira etapa Alicante-Mindelo e as duas últimas regatas: Aarhus-Haia e Haia-Genóva.

Todos os barcos que participam nesta volta ao mundo levam equipamento para recolher dados para investigação sobre o estado dos oceanos.

AA/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos