• Save

Nelson Mandela uniu hoje o Parlamento cabo-verdiano

Cidade da Praia, 18 Jul (Inforpress) – Nelson Mandela uniu hoje o Parlamento cabo-verdiano que assinalou a data do nascimento do homem que lutou contra o regime do apartheid na África do Sul, instituída pela ONU como Dia Internacional Nelson Mandela.

Para o líder da bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), Rui Semedo, Mandela é uma figura que viveu a vida inteira, “perseguindo a dignidade, a liberdade, a democracia e o humanismo” e, no Governo, disse, foi “exemplo de tolerância”, além de ter promovido a “reconciliação nacional”.

Segundo o dirigente do maior partido da oposição, Nelson Mandela demonstrou que por mais grave que a situação é “pode merecer perdão e o convívio de todos”.

“Ele (Mandela) inspira-nos, inspira a África e a humanidade com o seu gesto e atitude maneira de ser, enquanto homem que viveu para pagar o preço da liberdade”, sublinhou Rui Semedo.

Por sua vez, o presidente do grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD-poder), Rui Figueiredo Soares, enalteceu também a figura do líder sul-africano como “exemplo de cidadão da África e do mundo” que lutou contra o regime segregacionista do regime do apartheid.

“Apesar do regime do regime tirânico e das dificuldades que enfrentou, ele soube com mestria resolver pacificar a sociedade da África do Sul”, pontuou Figueiredo Soares, concluindo que Mandela constitui um “exemplo incontornável para todos aqueles que lutam pela liberdade e democracia”.

Entretanto, o ministro Fernando Elísio Freire, que faz ligação entre o Parlamento e o Governo nada disse em relação a Nelson Mandela,  considerado um homem que esteva ao “serviço da humanidade”.

A Assembleia Geral da ONU, em Novembro de 2009, instituiu o 18 de Julho como Dia Internacional Nelson Mandela, data do nascimento deste líder sul-africano.

Com esta decisão, que contou com o consenso de 192 países membros, a Organização das Nações Unidas (ONU) quis homenagear a dedicação de Mandela a serviço da humanidade pela resolução de conflitos, pela relação entre as raças, promoção e protecção dos direitos humanos, a reconciliação, igualdade de géneros e direitos das crianças e outros grupos vulneráveis.

Vencedor do Prémio Nobel da Paz de 1993 e pai da moderna nação sul-africana, onde é normalmente referido como Madiba (nome do seu clã), Mandela é considerado como o mais importante líder da África Negra.

Mandela, pela sua luta contra o apartheid  foi preso e passou 27 anos na prisão, tornando-se no prisioneiro mais famoso do mundo, e, finalmente, o político mais galardoado em vida e responsável pela refundação do seu país como uma sociedade multiétnica.

Depois de uma campanha internacional, ele foi libertado em 1990, quando recrudescia a guerra civil na África do Sul.

Primeiro presidente negro da África do Sul, Mandela faleceu no dia 5 de Dezembro de 2013, tendo a sua morte sido anunciada pelo seu sucessor Jacob Zuma.

Mas, Nelson Mandela ficou ainda nos anais da história ao ter proferido um dia esta frase: “Nós podemos mudar o mundo e torná-lo um lugar melhor. Está em nossas mãos fazer a diferença”.

LC

Inforpress/Fim