MpD acusa líder do PAICV de tecer afirmações irresponsáveis e justifica com políticas no sector das TIC e diplomacia (c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Fev (Inforpress) – O Movimento para a Democracia (MpD) acusou hoje a presidente do PAICV de tecer afirmações sobre o sector das TIC e a diplomacia cabo-verdiana que demonstram que a sua “irresponsabilidade não tem limites e o descrédito é crescente”.

Em conferência de imprensa realizada esta tarde, o secretário-geral do MpD assegurou que Cabo Verde é actualmente um país reconhecido ao mundo, como sendo credível com uma democracia com referência mundial, aberto ao mundo, com relações diplomáticas de excelência.

Miguel Monteiro disse que as declarações de Janira Hopffer Almada demonstram o total desconhecimento da líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição), quanto “a dinâmica social e económica que o País está a registar”.

Afirmou que a líder do principal partido da oposição está “do lado errado e contrário ao dinamismo”, que muitos jovens talentos, empreendedores, estudantes têm estado a demonstrar e a aproveitar oportunidades que hoje existem na formação profissional, estágios profissionais, na reconversão profissional nas ‘startups’ tecnológicas e em eventos internacionais.

A título justificativo, explicitou que relativamente as infraestruturas tecnológicas, os investimentos no Ellalink, no montante de 25 milhões de dólares, representará em termos de velocidade de comunicação de dados bem como a introdução prevista de 5G, ganhos extraordinários para o País.

Este dirigente do MpD fez questão de afirmar que o Governo resgatou a CV Telecom que estava num processo judicial arbitral internacional, tendo esclarecido que a decisão do actual executivo de reduzir a renda anual de 4% para 2,5% da CV Telecom ao Estado visa solucionar problema criado pelo próprio PAICV.

Sobre a diplomacia, “mais uma vez foram afirmações irresponsáveis, que inclusivamente foram desmentidas pelo próprio embaixador, que Janira Hopffer Almada foi visitar, ao ele assumir que está satisfeito com as relações diplomáticas que a Rússia tem com Cabo Verde, em que o acordo de facilitação de vistos assinado em 2019, é um exemplo paradigmático, que vai permitir aumentar o fluxo turístico entre ambos os países”.

Por tudo isto, afiançou que o MpD continua com o seu rumo e programa definido, alegando que em nada Janira Hopffer Almada condiciona a agenda deste do partido que suporta o poder, empenhado no cumprimento do programa, não obstante esperar “uma oposição mais credível”.

“Sentimos claramente que os cabo-verdianos acreditam nesta governação e não podemos ter uma oposição que todas as medidas que este Governo tome são consideradas más”, elucidou Miguel Monteiro para quem trata-se de uma oposição desorientada.

SR/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap