Mandato que a Comissão Europeia recebeu dos estados membros é o “culminar de um trabalho da diplomacia cabo-verdiana” – MNE

Cidade da Praia, 27 Out (Inforpress) – O ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), Luís Filipe Tavares, considera que o mandato que a Comissão Europeia recebeu dos Estados membros para negociar com Cabo Verde vistos de curta duração é o “culminar de um trabalho da diplomacia cabo-verdiana.

“O mandato que a Comissão [Europeia] recebeu dos Estados membros é importante, uma vez que é condição necessária para iniciarmos as negociações com vista a facilitação de vistos de curta duração para os cidadãos cabo-verdianos que querem entrar, como visitantes, no espaço Schengen”, indicou o chefe da diplomacia cabo-verdiana.

Luis Filipe Tavares fez essas considerações em declarações à Inforpress, a partir da cidade de Sochi, na Rússia, integrando a delegação cabo-verdiana, dirigida pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, que participou na primeira Cimeira Rússia-África.

Para o governante, a decisão da União Europeia é o “culminar de um trabalho da diplomacia cabo-verdiana junto dos Estados membros”.

Hoje, disse o ministro, Cabo Verde é “muito mais conhecido nos 28 Estados membros [da União Europeia], nomeadamente nos países da Europa do Leste que não nos conheciam tão bem como os outros”.

“Estamos a alinhar, no quadro do Pilar Convergência Técnica Normativa da Parceria Especial, as nossas políticas públicas com as melhores práticas da UE”, assegurou, admitindo que isto dá “confiança à Comissão e aos Estados membros nas suas relações com Cabo Verde”.

“Vamos agora trabalhar para fixarmos conjuntamente com a Comissão Europeia um calendário para as negociações que se avizinham”, garantiu, concluindo que o país está “sereno e confiante que tudo irá correr bem, se Deus quiser”.

Em comunicado, o executivo comunitário lembra que Cabo Verde se tornou, em 2014, o primeiro país africano a concluir um acordo de facilitação de vistos com a União Europeia, em paralelo com um acordo de readmissão.

As emendas propostas pela Comissão ao actual acordo de facilitação de vistos, e que receberam o aval dos 28, incluem uma diminuição dos custos de emissão dos vistos, a extensão da possibilidade de obtenção de um visto de entradas múltiplas com um período longo de validade, e a simplificação da lista de documentos que são exigidos em conjunto com a aplicação para os vistos.

A Parceria Especial entre Cabo Verde e a União Europeia, considerada um “instrumento inovador de cooperação”, foi aprovada em Novembro de 2007.

LC/ZS

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap