Maio: IPC prevê concluir inventário do património imóvel nacional no primeiro trimestre de 2020

Porto Inglês, 23 OIut (Inforpress) – O Instituto  o Património Cultural (IPC), através da Direcção dos Monumentos e Sítios,   prevê a conclusão do inventário do património imóvel,  histórico e cultural até o primeiro semestre de 2020, após ter retomado este processo em 2018.

Conforme as informações avançadas pelo IPC, até o momento já foram inventariados cerca de mil edifícios, considerados património histórico, cultural e imóvel de Cabo Verde, num processo retomado em 2018.

Este inventário, conforme apurou a Inforpress, prevê um levantamento exaustivo dos imóveis com carácter histórico e patrimonial, o que permite o conhecimento integral e o estado de conservação destes imóveis, com vista a sua preservação, conservação e classificação, e ainda destinado a fins académicos e científicos.

Avança ainda o documento que para integrar a lista do inventário patrimonial, os edifícios devem cumprir alguns critérios, quais sejam  história, simbolismo para as comunidades, traços arquitectónicos singulares e iconografia, entre outros.

E por ser um processo mutável, o inventário requer actualizações mínimas de dez anos.

Sendo um importante instrumento de gestão patrimonial,o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC, adquiriu, em 2018, uma ferramenta de gestão que permite “georreferenciar e sistematizar” toda a informação relativa ao património cultural, independentemente da sua natureza, e posteriormente disponibilizá-la aos diversos públicos.

Com este Sistema de Informação Geográfico (SIG), o IPC já tem sistematizado informações de grande parte do arquipélago, lê-se no documento

De momento, prossegue-se com o inventário na ilha de Santiago, tendo já 75% coberto, ficando por inventariar as ilhas de Santo Antão, São Vicente e Brava.

Estes levantamentos têm sido feitos em parceria com câmaras municipais, universidades e comunidades.

WN/AA

Inforpress/Fim

 

 

Scroll to Top