• Save

Maio: Bombeiros voluntários capacitam-se para a criação da primeira intervenção em prevenção e combate ao incêndio

Cidade da Praia, 15 Jul. (Inforpress) – Mais de 20 bombeiros voluntários do Maio iniciaram hoje, na ilha, uma formação, visando a criação da equipa de primeira intervenção para a prevenção e combate ao incêndio no perímetro florestal da Calheta e zona Terras Salgadas.

Promovida pelo Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, em parceria com o Ministério da Agricultura e Ambiente, esta formação teórica e prática decorre de 15 de Julho a 09 de Agosto na ilha do Maio, num total de 160 horas.

Esta formação abarca módulos como introdução aos serviços de bombeiros, sistema de comunicação do comando do incêndio, primeiro socorro – suporte básico de vida, “Operação extinção de incêndios florestais”, Salvamento em Grande Ângulo, Salvamento Aquático, mapeamento de risco, técnica de desencarceramento e sistema de informação geográfico.

O responsável da Protecção Civil do Maio, Carlos Tavares, adiantou à Inforpress que esta formação é destinada a bombeiros voluntários já formados, mas que o curso conta ainda com o envolvimento de técnicos “Maio Biodiversidade”, do Ministério do Ambiente e de alguns funcionários da Enapor, no módulo salvamento aquático.

O corpo dos bombeiros do Maio, segundo Tavares, conta actualmente com cerca de 70 “soldados da paz formados”, dos quais 35 no activo, nas áreas de nadadores salvadores, bombeiros aeroportuário, bombeiros de protecção de florestas, equipados com duas ambulâncias, um camião escada de 15 metros e um aparelho de suporte deste veiculo do combate ao incêndio.

Para além destes equipamentos, Tavares afiançou que a autarquia maiense conta ainda com um leque de donativos proveniente da Inglaterra e de Luxemburgo, este último, no âmbito da cooperação Maio/Grão Ducado de Luxemburgo, pelo que considerou que a ilha está preparada para “qualquer casos de eventualidade”.

Explicou ainda que o serviço municipal dos Bombeiros da ilha tem estado a intervir, pontualmente, junto dos ministérios da saúde e do ambiente e com intervenções sistemáticas em florestas.

O perímetro florestal da Calheta e de Terras Salgadas são áreas protegidas e afiguram-se como das maiores do país, com a particularidade da Calheta ter a sua marca na produção do carvão.

SR/JMV

Inforpress/Fim