Kriol Jazz Festival permite amantes da música apreciarem boas melodias e cada detalhe de um guitarrista ou pianista – Djô da Silva (c/áudio)

Espargos, 11 Fev (Inforpress) – O produtor cabo-verdiano José (Djô) da Silva, da Harmonia Lda, considera que a realização do Kriol Jazz Festival permite amantes da música apreciarem boas melodias e cada detalhe de um guitarrista, baixista ou pianista, num ambiente particular.

Djô da Silva fez essas considerações na ilha do Sal onde esteve para fazer a apresentação do cartaz daquilo que vai ser a primeira edição do Kriol Jazz Festival na ilha, marcada para 17 e 18 de Abril, evento que terá lugar na praça Manuel António Martins, em Santa Maria, e homenageia o músico e compositor Antero Simas.

“A música jazz empresta um ambiente suave. E Kriol Jazz Festival foi criado para os amantes da música, já que em Cabo Verde os festivais são populares, com 20/30 mil pessoas, onde raramente, há tempo para se apreciar um guitarrista, um pianista… Kriol Jazz foi feito justamente para isso, permite o espectador ir ao detalhe da música”, explicou.

Assim sendo, garante que há uma “grande preocupação”, relativamente à qualidade de apresentação sonora.

“Fazemos muita atenção, muito cuidado na apresentação sonora. Aliás, quanto a isso, os artistas são super exigentes. Temos conseguido trazer grandes artistas no Kriol Jazz porque alcançamos essa qualidade. Nenhum artista foi de Cabo Verde a reclamar do Kriol Jazz porque levamos a produção a nível internacional, em termos de qualidade sonora”, enfatizou.

Mário Laginha e Camané, JazzSal Project, Roosevelt Collier, Mirri Lobo, CaboCubaJazz e Salif Keita, são os nomes que vão subir ao palco da 1ª edição do Sal Kriol Jazz Festival, na Praça Manuel António Martins, na cidade turística de Santa Maria.

A banda constituída por Sílvia Medina, Sandro Pimentel, Changay Chantre, Gil Duarte, Gabriel Mastronardi, Edson Santos, Hernani Santos e Cláudio Andrade, é também proposta de actuação no Sal Kriol Jazz Festival.

Da programação da primeira edição Kriol Jazz Festival, no Sal, constam ainda workshops, jamesations, entre outras actividades, destacando-se, também, a realização do Kriol Jazz nas zonas periféricas, desta feita na Palmeira, onde uma semana antes do evento, a comunidade vai ser brindada com um show de jazz, grátis, com artistas locais.

O projecto Sal Kriol Jazz Festival, uma iniciativa de Djô da Silva, abraçada pela Câmara Municipal do Sal, está orçado em 15 mil contos, devendo a autarquia entrar com cinco mil contos, desse montante.

“Na cidade da Praia levamos cinco anos para chegarmos ao nível do Kriol Jazz que hoje apresentamos. Aqui no Sal, o nosso objectivo é chegar o terceiro ano com um nível muito superior. Passar de um festival de 15 mil contos para 30 mil contos, com cada vez artistas de mais qualidade, mais ensino e actividades a volta do Kriol Jazz”, almejou, concluindo.

 

SC/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap