Janira Hopffer Almada defende que o momento não é propício para privatizar a Cabo Verde Handling (c/áudio)

Cidade da Praia, 24 Mar (Inforpress) – A presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) defendeu hoje, na Cidade da Praia, que não é o momento de privatizar a Cabo Verde Handling, conforme o anunciado, esta segunda-feira, 23, pelo Governo.

Para Janira Hopffer Almada, que falava à imprensa, depois de um encontro com a Direcção da Câmara de Comércio de Sotavento (CCS), este não é o momento para fazer a privatização de empresas, sobretudo das empresas aéreas e conexas que passam por “grandes dificuldades” de funcionamento.

“Eu apelo ao Governo que suspenda, imediatamente, o processo de privatização da Cabo Verde Handling, para ser analisado e discutido num outro momento, com serenidade, responsabilidade e ouvindo a sociedade e garantindo a preservação dos interesses superiores da Nação”, exortou.

Adiantou que neste momento todos devem estar focados na luta que o país tem de travar para vencer esta pandemia (covid-19), de modo a proteger os cabo-verdianos e garantir que as pessoas não vão para o desemprego.

“Portanto, fica o apelo claro ao Governo que suspenda imediatamente o processo de privatização de Cabo Verde Handling, por que entendemos que não é momento de se estar a privatizar empresas”, sublinhou.

Segundo a decisão do Executivo, publicada no Boletim Oficial desta segunda-feira, “até 51% do capital social” serão vendidos a um parceiro estratégico, “através de um procedimento de concurso limitado”.

Os restantes 10% serão vendidos numa operação de oferta pública de venda dirigida “exclusivamente a trabalhadores da CV Handling, e a emigrantes cabo-verdianos”.

Aos funcionários da empresa caberá um “lote de até 5%” do capital da empresa e um “mínimo de 5% para emigrantes cabo-verdianos”.

OM/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top