Ilha do Sal: Governo recorre a requisição civil durante a greve dos trabalhadores do INMG

Espargos, 27 Jan (Inforpress) – O Governo recorre a requisição civil para assegurar os serviços mínimos considerados indispensáveis, na sequência da anunciada greve de dois dias dos trabalhadores do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) programada para esta terça-feira.

A greve dos trabalhadores do INMG deve-se a algumas reclamações, nomeadamente reposição imediata do subsídio de produtividade, referente a 2018 (45%) e os 100% referentes ao ano de 2019, descongelamento imediato das carreiras e salários, congelados “há mais de 10 anos”, progressões na carreira, já que o PCCS em vigor prevê a progressão dos trabalhadores de 4 em 4 anos, sendo que a última foi feita em 2009, com efeito a 2008, entre outras.

Perante o pré-aviso de greve anunciado pelo Sindicato dos Transportes, Comunicações e Administração Pública (SINTCAP), em representação dos trabalhadores do INMG, o Governo decidiu para a requisição civil, já que, refere, as informações meteorológicas “são vitais” para a navegação aérea, no espaço aéreo sob a responsabilidade de Cabo Verde, concretamente no que tange à observação, tratamento, análise e difusão dos dados.

Trata-se de um “serviço essencial” para a segurança das operações aéreas que contribui para “o conforto” dos passageiros e que facilita o estabelecimento de rotas da aeronave, argumenta o Governo.

Nesta medida, considera-se indispensável assegurar a prestação de serviço meteorológico necessário para a realização dos voos programados, e evitar interrupções no transporte aéreo que causariam “grandes perdas económicas” aos usuários e ao país.

A greve realizar-se-á, nos dias 28 e 29 com início às 07:30 devendo terminar pelas 24:00 do dia 29.

A sindicalista Maria de Brito apela os trabalhadores do INMG a se manterem “unidos e solidários” e a participarem, massivamente, nesta luta.

SC/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

 

Scroll to Top