Ilha do Sal: Cai o pano do Festival de Santa Maria com MC Acondize a vibrar público manhã adentro

Santa Maria, 18 Set (Inforpress) – Chegou hoje ao fim o Festival de Santa Maria, no Sal, que decorreu durante dois dias, exibindo um cartaz diversificado, tendo o artista MC Acondize, o último a actuar, vibrado o público passava das 10:00.

Após um interregno de dois anos por causa da pandemia da covid-19, o Festival de Santa Maria voltou à ribalta, com a organização a fazer um balanço positivo destes dois dias de música no areal da praia de Santa Maria.

O presidente da comissão organizadora da 30ª edição do Festival de Santa Maria, Hermínio Monteiro, explicou que com essa paragem era necessário fazer-se uma reprogramação do evento, comparado com aquilo que tinha sido feito nos anos anteriores.

O responsável, que já foi também vereador do pelouro da Cultura no mandato da anterior câmara liderada por Júlio Lopes, disse que foram quatro meses de “árduo trabalho” para se poder montar esse novo projecto do Festival de Santa Maria.

“Mas o esforço que foi feito valeu a pena. Tivemos dois dias de festival, onde, de facto, as pessoas estão satisfeitas, tendo em conta o elenco de artistas”, frisou, lamentando, porém, algum atraso no primeiro dia, devido à demora na chegada da embarcação que transportava os equipamentos sonoros para o Sal.

Por outro lado, a mesma fonte faz apelo para que no próximo ano as pessoas cheguem também cedo ao festival, para que o espectáculo de música possa arrancar a horas.

“Porque se não houver público nenhum artista sobe ao palco. Por isso o apelo. Para o festival iniciar à hora tem que haver público, porque ninguém vai cantar, actuar para o nada”, comentou, Hermínio Monteiro, agradecendo a presença da moldura que se fez presente no areal.

Pelos palcos desta 30ª edição, este ano sob o lema “Djad’Sal junt ma diáspora”, em homenagem às comunidades emigradas, desfilaram cerca de quinze artistas e grupos, durante dois dias de muita música e animação.

MCA Condize fechou o espectáculo com chave de ouro, depois da actuação de vários outros artistas, desde Colectivo de Sal, formado por várias vozes, HIP-HOP KRIOLADA com C. Black, RCC, MC Bronk, NGS, Kino Cabral, Tabanka Djazz, Turbulence, Big Z Patronato, June Freedom, SOS MUCCI e Mark Delman.

A Banda Municipal, a prata da casa, que abriu o palco do segundo dia do festival, embora com pouco público, não deixou seus dotes em mãos alheias, tendo no momento, prestado homenagem ao músico Antero Simas, falecido no passado mês de Junho, com uma das suas composições, a emblemática morna “Doce Guerra”.

Durante meia hora de espectáculo, apresentou um repertório com músicas de Cabo Verde, arranjos de jovens músicos, exclusivamente para a banda, conforme explicou o maestro Domingos Moreira.

À semelhança dos anos anteriores, o Festival da Praia de Santa Maria, obrigou à utilização de copo ecológico e reutilizável, visando a mudança de atitudes e preservação ambiental.

SC

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos