• Save

ICIEG recebe dos parceiros mais de 70 mil contos para implementar projectos

Cidade da Praia, 09 Jul (Inforpress) – O ICIEG, que completa este ano 25 anos de existência, recebeu dos parceiros mais de 70 mil contos para implementação de projectos em prol da igualdade do género de 2017 a 2019.

Segundo fonte do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG) em declarações à Inforpress, a instituição para realizar os vários projectos em prol da igualdade do género no país tem efectuado uma “verdadeira diplomacia económica” para investir em áreas como violência baseada no gênero, empoderamento econômico das meninas e mulheres, e na participação política.

“Para realizar todo esse trabalho, temos a Espanha como o maior financiador e que tem disponibilizado mais de 30 mil contos. Aliás, o guia para alunos e manual para professores sobre a igualdade de género a serem introduzidos no ensino secundário, este ano lectivo, é resultado deste financiamento”, disse a mesma fonte.

A promoção do trabalho digno, através da promoção de sistema de cuidados, realçou, foi outra intervenção feita com o financiamento da cooperação espanhola que, também, investiu na elaboração e advocacia a favor da Lei da Paridade em Cabo Verde.

Ainda a mesma fonte, o instituto através da cooperação espanhola, União Europeia, em estreita articulação com todos os municípios do país, instalou os Centros de Atendimento às Vítimas (CAV) e formou técnicos que operam já nos 22 centros de atendimento em todos os concelhos do país.

Neste processo de promoção da igualdade do género no país, salientou, a União Europeia através do reforço institucional disponibilizou uma “fatia” considerável do orçamento para ser utilizado na transversalização da abordagem de género em sectores de empoderamento económico, participação na política e violência baseada no género.

O ICIEG que vê a comunicação como um mecanismo “útil e eficaz” para a mudança de comportamentos numa sociedade estereotipada, admitiu na entrevista, que através desta conseguiu resultados em campanhas contra violência e programa de televisão “Diferentes e Iguais”.

Lembra, ainda a mesma fonte, que através do protocolo assinado entre o ICIEG e o Poser (Programa das Oportunidades Socio-Económicas Rurais) a instituição realizou actividades com base em 3 eixos: Eixo I – Economia; Eixo II – Reforço institucional para integração da abordagem de género e Eixo III – Participação nas Esferas de Tomada de Decisão.

No que se refere aos parceiros, aponta as Nações Unidas como uma parceira cada vez mais engajada na luta pela defesa da igualdade e equidade de género, enquanto que com a CEDEAO foi lançado em Novembro, o projecto “50 Milhões de Mulheres têm a Palavra”.

A ONU Mulheres, segundo o ICIEG, tem participado com financiamento para a implementação do projecto “Reforço das Capacidades Nacionais para Promover a Igualdade de Género”, assim como na elaboração dos Planos Estratégicos de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS) para nove municípios.

O ICIEG que completa, este ano, 25 anos de “muita labuta” em prol da igualdade de género no país, conta com uma equipa reduzida para garantir e seguir toda a transversalização a nível nacional, e tem como foco, a longo prazo, provocar mudanças estratégicas a todos os níveis.

Nestas condições, a instituição que funciona com um orçamento anual de 27 mil contos, tem como o seu maior desafio o femicídio que nos últimos dois anos (2017/2018) contabilizou a perda de 13 vidas, levando a que mais de 13 crianças ficassem órfãs.

Por estas e outras razões, a instituição, realça a mesma fonte, solicita do Governo mais verba para corrigir desequilíbrios de Género para que não dependa, exclusivamente, das ajudas dos parceiros internacionais.

PC/ZS

Inforpress/Fim