Governo recolhe subsídios para regulação do acesso ao exercício das profissões na área de turismo

Cidade da Praia, 13 Set (Inforpress) – Técnicos do Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) estão reunidos na Praia num ateliê de socialização da proposta de lei-quadro e recolha de subsídios para a regulação do acesso ao exercício das profissões sujeitas a carteira profissional na área do turismo

Segundo a directora-geral do Emprego, Formação Profissional e Estágios Profissionais, Jacqueline Moniz, o que se pretende é garantir que o exercício de determinadas profissões seja devidamente regulamentado e que os profissionais sejam devidamente credenciados e valorizados.

“Um profissional que esteja devidamente credenciado automaticamente a sua competência e sua capacitação é reforçada e estaremos a melhorar toda uma cadeia de valores que existe por detrás das profissões”, sustentou.

O turismo é a área prioritária, e por isso durante o ateliê vão ser socializados também os decretos-leis que regulam o acesso a exercícios das profissões ligadas ao sector de hotelaria, restauração e turismo, nomeadamente, cozinheiro, empregado de mesa e bar e recepcionista de hotel, pasteleiro e guias turísticos.

Jacqueline Moniz explica que a escolha da área de turismo para se iniciar com esse processo de regulação das profissões deve-se a toda dinâmica que é gerada a volta desse sector que é considerado pelo Governo no seu programa como motor de desenvolvimento de Cabo Verde.

“Nós conhecemos a dinâmica que está à volta do turismo, que acaba por arrastar outras áreas como agricultura, a economia azul, a economia verde. Nós vamos começar por esta área, justamente por trazer um maior potencial à nossa economia e pelo facto de termos também vários profissionais que neste momento precisam de ser certificados para poderem apresentar um serviço de melhor qualidade”, disse.

A directora perspectiva que “tao cedo” os diplomas estarão aprovados para sua implementação e iniciar-se assim a valorização das profissões na área do turismo.

A proposta de lei-quadro, segundo adiantou, prevê a criação das comissões das carteiras profissionais que vão integrar um conjunto de entidades do sector, o sistema nacional das qualificações, a Inspecção-geral do Trabalho e demais elementos da sociedade civil, nomeadamente, associações profissionais e os sindicatos.

Para ter acesso à carteira o profissional, os candidatos têm de ter uma formação profissional ou técnica ou pelo menos cinco anos de experiência devidamente comprovada.

A abertura do evento foi presidida pelo secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, que indicou que o objectivo do Governo é aumentar a empregabilidade em Cabo Verde e garantir que quem esteja no negócio do turismo no país possa ter profissionais certificados.

Pedro Lopes vê na atribuição de carteira aos profissionais uma forma de melhorar a qualidade de serviços prestados, o que na sua perspectiva, poderá contribuir para aumentar a capacidade de empregabilidade.

“Nós sabemos as dificuldades que temos em encontrar um serviço de bar ou restaurante adequado. A probabilidade de as pessoas não terem uma certificação é grande é e por isso que isto acontece. Nós precisamos rever isso e garantir que as pessoas sejam certificadas. É essencial que assim seja, porque assim valorizamos também a formação profissional e técnica em Cabo Verde”, disse o governante.

MJB/JMV

Inforpress/fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap