• Save

Governante desafia Cabo Verde e Portugal a reforçarem as relações na área da inovação

Cidade da Praia, 20 Jun (Inforpress) – O secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, desafiou hoje, Cabo Verde e Portugal a reforçarem as relações na área da inovação, alegando que o arquipélago quer experimentar produtos novos e fazer negócios.

O governante, que falava na cerimónia de encerramento da conferência subordinada ao tema “Dinamização empresarial – experiências e desafios”, que decorreu nu dos hotéis da capital do país, realçou ainda que a área da inovação vai também beneficiar de muitas novidades.

“Este é o caminho que já está lançado e em que os laços históricos entre Cabo Verde e Portugal têm de ser concretizados com a economia, negócio e outros”, disse Pedro Lopes.

Conforme o secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, o acordo hoje rubricado entre a Pró-Empresa e a sua congénere portuguesa IAPMEI, e que já existia no tempo da ADEI, vai servir para o reforço da cooperação entre as duas instituições.

Ainda segundo Pedro Lopes, o Governo, com estes acordos, quer que o empresariado nacional não tenha que estar a andar de um lado para outro para fazer negócio para que a economia do país possa prosperar.

Na sua comunicação, declarou que Cabo Verde está num “momento bom” da sua economia, afirmando que cresceu cinco vezes mais do que há três anos, aumentando o número da empresa em 9.5 por cento (%), o volume de negócios em 14,7% e o número de empregos nas empresas em 23.5%.

“Estamos a aumentar nas exportações, investimentos, consumo e estamos a criar condições para que o acesso a crédito seja ultrapassado”, assegurou, lembrando que o país também está a reforçar a sua conexão com o mundo e com a sua diáspora.

Por sua vez, o presidente da Pró-Empresa, sucessora da Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação (ADEI), Pedro Barros, que rubricou um protocolo de cooperação com a sua congénere portuguesa IAPMEI, explicou que as duas instituições já estão a trabalhar num programa a nível de ‘startup’, dirigido a jovens e que vai arrancar em dois meses.

Além desta avançou, ainda, a existência de um outro projecto que vai apoiar jovens e não jovens a categoria das micro, medias e pequenas empresas.

PC/CP

Inforpress/Fim