Francisco Silva primeiro a anunciar sua candidatura à Câmara Municipal da Praia

Cidade da Praia, 11 Fev (Inforpress) – O dirigente da União Cabo-verdiana e Independente e Democrática (UCID- oposição) Francisco Silva anunciou hoje que se vai candidatar à Câmara Municipal da Praia nas eleições autárquicas que se avizinham.

O responsável da UCID fez esta revelação durante o debate no programa “Directo ao Ponto” da Rádio de Cabo Verde (RCV).

Para o candidato dos democratas cristãos, a capital do país depara-se com a problemática da habitação social.

“A população continua na mesma. Basta irmos aos bairros”, indicou Francisco Tavares, acrescentado que uma sindicância devia também contemplar os governos locais, ou seja, as câmaras municipais.

Para o secretário-geral (SG) do Movimento para a Democracia (MpD-poder), Miguel Monteiro, são “falsas” as declarações dos democratas cristãos, porque, segundo ele, a sindicância é feita a todas as câmaras municipais e desafiou os acusadores a consultarem o ‘site’ do Ministério das Finanças.

O SG do MpD deixou ainda transparecer que os outros partidos políticos não têm chance de ganhar a Câmara Municipal da Praia, visto que, de acordo com as suas palavras, há estudos de opinião a indicar que o seu partido vai continuar a governar o município da capital com uma “maior qualificada”.

Desafiou o Julião Varela, presente no debate, a confirmar se é candidato à presidência da CMP, mas este prefere que seja o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição) em “momento oportuno” a anunciar o seu candidato à Praia.

Até ao momento, a UCID é o único partido que já anunciou a sua candidatura à Câmara Municipal da Praia.

Nas sétimas eleições autárquicas realizadas em 2016, Francisco Silva concorreu, pela primeira vez à CMP, nas listas da UCID.

Em 2016, o MpD foi o grande vencedor das autárquicas, ao conquistar 19 das 22 câmaras municipais do país.

O partido no poder manteve as câmaras da Praia, do Tarrafal de Santiago, de São Domingos, de São Miguel, da Ribeira Grande de Santiago, do Maio, da Brava, da Ribeira Grande e Paul (ambas em Santo Antão), de São Vicente, Tarrafal de São Nicolau e Santa Catarina de Santiago.

Acrescentou ao rol de câmaras conquistadas as de São Lourenço dos Órgãos, São Salvador do Mundo (Santiago), Santa Catarina e São Filipe (Ilha do Fogo), Sal e Porto Novo (Santo Antão).

Perdeu a da Ribeira Brava (São Nicolau), a favor do Grupo Independente para o Desenvolvimento da Ribeira Brava, liderada por Pedro Morais e perdeu a da Boa Vista para o Grupo independente Boa Vista Avante Sempre Trabalhando Arduamente (BASTA), liderado por José Luís Santos, deputado nacional do MpD, que venceu as eleições com maioria absoluta.

A taxa de abstenção nessas eleições registou um novo recorde, com 41,7%, um aumento significativo em comparação com a taxa de 2012 que ficou nos 31,5%.

LC/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top