São Filipe: Câmara justifica ajuste directo com Fogo Entertainment devido a “factor tempo”

São Filipe, 25 Jan (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de São Filipe justificou, hoje, a contratação da empresa Fogo Entertainment, através de ajuste directo, para produção das festas de São Filipe 2023 devido a “factor tempo”.

Ao ser questionado sobre esta opção, Nuías Silva disse que ajuste directo é uma das modalidades prevista no Código de Contratação Pública e que a câmara optou por esta via tendo em conta o “factor tempo” que um concurso público poderia acarretar.

Além disso, explicou, que também a câmara entendeu que existe capacidade técnica local suficiente e conhecedor da realidade, tradição e vivência sociocultural que pudesse dar garantia de sucesso, sublinhando que com isso não quer dizer que não existem outras empresas a nível nacional que pudessem transmitir confiança e garantia.

“No ano passado as festas correram bem, de uma forma geral, em termos da dinâmica económica da ilha”, pontuou o edil, lembrando que a função principal da câmara é gerar actividades capazes de imprimir uma alavanca à economia da ilha e do município.

Nuías Silva reconheceu que houve alguns aspectos ligados a casas de banho, à própria produção e atrasos que não correram bem, mas a câmara já tomou as medidas para que estas questões, este ano, estejam salvaguardas e corrigidas.

“Das análises feitas e do diálogo com outros produtores entendemos que esta é a melhor proposta, mas houve uma prospeção do mercado que depois culminou com esta concessão por ajuste directo”, disse Nuías Silva, destacando que no ano passado as festas correram bem na perspectiva da câmara e da economia local.

O autarca reconheceu que poderá ter ocorrido aspectos, que a câmara desconhece, nomeadamente relacionados com eventuais dívidas a terceiro, salientado que “ouviu, mas não tem conhecimento factual das hipotéticas dividas”.

“Mas são relações entre terceiros”, explicitou Nuías Silva recordando que a câmara assinou um contrato com um privado para produzir as festas e que em contrapartida tem responsabilidade e que “a única responsável pelos contratos celebrados com outras entidades para poder produzir a festa é que pode responder em primeira mão”.

“A câmara está sempre ao lado dos produtores para ajudar naquilo que está ao seu alcance, mas para tal é preciso que tenha conhecimento factual dos aspectos e dialogar para chegar a um melhor entendimento, porque queremos que a festa sirva todos os interesses da ilha e do município”, destacou.

Com relação à empresa contratada no ano passado, Nuías Silva disse que é uma empresa “capaz e amiga” da câmara de São Filipe e mantém relações de cordialidade e não descarta a possibilidade da sua participação em qualquer tipo de evento, mesmo nas festas de São Filipe, ou noutras festas.

O edil lembrou ainda que a câmara está a trabalhar na criação de um produto internacional com a marca de São Filipe e acredita que este ano com os aprendizados, vai ser muito melhor do que em 2022.

“O segredo é que a câmara, nesta parceria, mobiliza recursos que não tem e não consegue disponibilizar, fazendo com que ela possa usar os recursos próprios em questões de desenvolvimento do município”, disse o edil, sublinhando que a festa do município representava antes um investimento de cerca de 25 mil contos, mas que na sua gestão as festas de São Filipe, mesmo no ano de centenário em que houve aumento dos prémios, a câmara não gastou dez mil contos.

JR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos