Fogo: Perto de duas mil plantas fruteiras distribuídas às famílias de Santa Catarina

São Filipe, 27 Ago (Inforpress) – A autarquia de Santa Catarina do Fogo disponibilizou cerca de duas mil plantas fruteiras (1.800) às famílias, no quadro do projecto de desenvolvimento de fruticultura, financiado pela Embaixada dos Estados Unidos da América em Cabo Verde.

O valor disponibilizado pela Embaixada foi de sete mil dólares americanos, mais de 600 contos cabo-verdianos, para o início do projecto no sector de fruticultura, sendo que o montante foi aplicado na produção das plantas fruteiras distribuídos às famílias para fixação, segundo o autarca, Alberto Nunes.

O presidente da Câmara Municipal de Santana Catarina disse à Inforpress que, inicialmente, tinha receio de que as pessoas não iam envolver-se, mas o número de plantas produzidas revelou-se insuficiente e a autarquia está a mobilizar parceiros e mais fundos para produção de mais plantas fruteiras para distribuir às famílias.

Segundo o autarca, além de fruteiras, o serviço da agricultura, que passou a ser gerido pela Câmara, vai produzir também plantas florestais e ornamentais para criação de áreas verdes em todas as localidades, indicando que em todos os acessos que estão a ser construídos são colocadas plantas, visando o embelezamento e criação de espaços verdes.

Para além disso, sublinhou que com a transição dos serviços de agricultura e ambiente para a Câmara, este deve prestar um serviço nos sectores de agricultura e pecuária no município, com destaque para surgimento de novas áreas de regadio, já que o sistema de fornecimento de água para agricultura está a melhorar e a autarquia vai incentivar as pessoas a enveredarem-se para esta área.

As plantas foram distribuídas a algumas famílias de diferentes localidades do município com excepção de Chã das Caldeiras, para fixação nas suas propriedades, devendo uma parte ser afixada directamente pela edilidade em espaço público e pelas escolas.

Por outro lado, disse que a autarquia de Santa Catarina do Fogo já submeteu ao Ministério das Finanças um projecto para o sector de economia marítima, no valor de 58 mil contos, para o sector da pesca no município.

O projecto contempla a criação de acessibilidades aos portos de desembarque, aquisição de equipamentos, construção de casa dos pescadores e arrastadores de embarcação de pesca.

O edil sublinhou que é “um projecto interessante” e que se for financiado vai ter grande impacto no desenvolvimento do município.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap