Fogo: Mosteiros atravessa “período importante” que desafia a “novos tempos e novas ambições” – autarca

São Filipe, 13 Ago (Inforpress) – O município dos Mosteiros atravessa um período “importante” que desafia a todos a novos tempos e ambições para colocar a vontade e o empenho na busca de soluções para enfrentar, com sucesso os próximos tempos.

A afirmação é do presidente da Câmara dos Mosteiros, Carlos Fernandinho Teixeira, durante a sessão solene da Assembleia Municipal para analisar o estado do município, observando que “as realizações em curso, a paz social reinante e o empenho que continuadamente atestam a capacidade de ultrapassar as dificuldades decorrentes de dois anos consecutivos de seca, revelam que o município navega por boas águas”.

Segundo o mesmo, persistem dificuldades, decorrentes das fragilidades, da fraca capacidade fiscal e de condicionantes de ser um município rural, mas indica que há “sinais positivos” e que o futuro apresenta-se “promissor” para todos que optaram por este concelho para viver ou para investir.

“O desenvolvimento dos Mosteiros implica manter na agenda o porto da Baía do Corvo, conclusão do circuito da rede de distribuição de água, uma clara política do saneamento, a modernização dos bairros e o alargamento das redes viárias e redes de penetração, uma agenda cultural e criar mais oportunidades para jovens, sobretudo aqueles à procura do primeiro emprego”, disse o autarca, indicando que são essas mudanças que faltam para que o município integre com mais dinâmica o desenvolvimento do país.

Para Carlos Fernandinho, “este é o momento de Mosteiros ousar mais e esta é a hora de trabalhar ainda com mais afinco para juntos, na diversidade e na pluralidade, continuar a projectar o concelho para novos patamares”, indicando que com diálogo se construi melhores soluções, uma visão integradora e uma dinâmica de gestão capaz de federar todas as vontades.

Mosteiros, disse, perante os novos desafios não pode baixar a guarda e tem de continuar a garantir confiança, responsabilidade e trabalho às populações.

A agricultura no dizer do autarca é o pilar fundamental para um concelho eminentemente agrícola, observando que ainda se está a viver os reflexos de dois maus anos agrícolas, e de novo, o ano agrícola, adivinha-se já problemático, colocando em risco a produção de bens alimentares e a criação do gado, colocando em risco milhares de famílias na zona rural.

Por isso defende que medidas emergenciais devem ser já equacionadas, com tempo para que se possa ajudar as pessoas do mundo rural, lembrando que a não contemplação dos Mosteiros no Programa de Mitigação do Mau Ano Agrícola, no último ano, não apenas constituiu uma decisão errada, como também teve impactos negativos na vida das pessoas, pondo em risco a sobrevivência de várias famílias.

Porque elegeu agricultura e pecuária como factores do desenvolvimento é que foi assinado um acordo de transição dos serviços da agricultura e ambiente para a câmara municipal que vai permitir a intensificação dos trabalhos, com primazia para a fruticultura nas zonas altas e horticultura no litoral.

“Todos os reservatórios construídos no âmbito do MCA, serão activados para a rega de compensação estando ainda previstas acções para melhorar a cultura do café, produto que simboliza o município”, disse Carlos Fernandinho, indicando que em breve vai introduzir nova dinâmica no perímetro florestal de Monte Velha, desde logo com a colocação de um gestor a tempo inteiro e introduzir melhorias na chamada “Casa de Monte Velha” para servir o turismo e realização de eventos do sector da agricultura e pecuária.

A questão de habitação condigna às famílias, ligações domiciliárias de água, repensar a problemática do saneamento, a questão ambiental, a requalificação urbana, foram outros itens abordados sobre o estado do município dos Mosteiros, pelo autarca, Carlos Fernandinho Teixeira.

JR/ZS

Inforpres/Fim

Scroll to Top
Copy link
Powered by Social Snap