Fogo: Maritza Rosabal e Jorge Nogueira analisam municipalização da promoção social e ampliação do rendimento social

São Filipe, 13 Jan (Inforpress) – A ministra da Educação, Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, e o presidente da câmara de São Filipe, Jorge Nogueira, analisaram hoje a questão da municipalização da área de promoção social e ampliação do rendimento social.

A governante, que iniciou hoje uma visita de quatro dias à ilha do Fogo depois de visitar a Brava para tomar pulso da situação da educação e auscultar as preocupações dos professores, disse que no encontro com o autarca, de entre várias questões ligadas à municipalização da área social, analisou a problemática da ampliação do rendimento social de inclusão e inclusão produtiva.

Segundo a mesma, o município de São Filipe está a fazer uma “utilização efectiva” do Cadastro Social Único, com um “trabalho notável” de inscrição no cadastro social de mais quatro mil famílias.

Dentro do grupo prioritário de intervenção, que são as famílias mais pobre, acrescentou, foram recenseadas mais de 1.800 de um universo de 2.029 que terão de ser recenseados no município de São Filipe até Março próximo.

No encontro, explicou Maritza Rosabal, foi passado em revista questões de como trabalhar a área de promoção social no futuro, para começar a implementar o rendimento de inclusão às 2.029 famílias de extrema pobreza recenseada.

No sector da educação, durante o encontro, foram abordadas as intervenções que devem ser feitas e qual a comparticipação que cabe ao ministério e como “articular melhor” com a Fundação Cabo-verdiana de Acção Social e Escolar (Ficase), nível de transporte escolar.

Durante a visita, Maritza Rosabal tem agendado vários encontros com professores, “em grupos pequenos”, para poder ter “um melhor diálogo”, e uma conversa aberta, nos três municípios da ilha.

Ainda na área da educação pretende fazer o ponto da situação da implementação do novo plano curricular e as contribuições necessárias para melhorar e participar no processo de revisão do plano curricular do ensino secundário.

Na qualidade da titular da pasta da Família e Inclusão Social tem agendado, para o final da visita, uma passagem pela delegação do Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA), que segundo a mesma vai ser reforçado e o concurso já foi lançado.

Observou que no caso na ilha  do Fogo existem “indicadores interessantes” e que apontam para a “redução substancial” da violência baseada no género, mas que há questões que ainda preocupam que são as do abuso sexual e maus tratos, “que acontecem com mais frequência”.

JR/AA

Inforpress/Fim

Scroll to Top