• Save

Fogo: Hospital regional São Francisco de Assis ambiciona realizar cirurgias em vídeo laparoscopia – Director

São Filipe, 14 Jul (Inforpress) –  A implementação no hospital regional São Francisco de Assis das cirurgias em vídeo laparoscopia ou minimamente invasiva para patologias especificadas é a grande ambição e vontade da direcção deste estabelecimento hospitalar.

No dia em que se celebra o Dia Mundial dos Hospitais, o director do hospital regional Fogo/Brava, “São Francisco de Assis”, Evandro Monteiro disse que esse “sonho” é realizável, mas necessita de uma boa organização, de equipamentos e formações.

Acrescentou que os três aspectos são “importantes” para que este sonho se concretize, adiantando que há pessoas que querem apoiar e ajudar na formação e capacitação de todo o pessoal, desde os enfermeiros de salas, passando por anestesistas e cirurgião.

“Há todo um estudo pré-operatório que se deve fazer e do ponto de vista técnico deve ser linear com a actualidade e o futuro da área cirúrgica e seria uma mais-valia para o hospital”, disse Evandro Monteiro.

Reconhece que os equipamentos são caros, mas, avançou, existem parceiros a criar uma rede de pessoas determinadas em tentar conseguir tudo isso para materializar esta possibilidade com benefícios para os doentes quer em termos de segurança cirúrgica como do pós-operatório.

O São Francisco de Assis é um hospital regional para servir as ilhas do Fogo e da Brava, cobrindo uma população superior a 40 mil habitantes, tem aproximadamente 100 camas distribuídas pela enfermaria de cirurgia geral, gineco-obstetrícia, pediatria, medicina interna, psiquiatria, banco de urgência.

Além desses serviços de especialidades prestados de forma fixa e permanente existem outras especialidades que não dispõem de camas como oftalmologia, radiologia, emenologia, psiquiatria, medicina interna, cirurgia geral, obstetrícia, pediatria (áreas médicas) e áreas não médicas complementares como psicologia, serviço de nutrição, fisioterapia, assim como áreas ligadas ao tratamento de dor crónico e de problemas articulares.

No quadro da parceria com médicos nacionais e estrangeiros, o hospital regional presta serviços de especialidades cada vez mais diferenciados e frequentes nas mais diversas áreas, e a título de exemplo, Evandro Monteiro, indicou que no último ano o estabelecimento hospitalar prestou serviço de especialidade nas áreas de cirurgia reconstitutiva (estética), orto-traumatologia, otorrino, dermatologia, cardiologia, serviço de estomatologia e maxilo-facial, urologia e oftalmologia pediátrica, isto de acordo com a demanda e a própria lista de espera em determinadas especialidades.

Quanto ao corpo clínico, neste momento o hospital conta com três clínicos gerais, um internista, duas pediatras, um cirurgião geral, três obstetras, uma psiquiatra, um radiologista, uma oftalmóloga, dois técnicos de anestesista, uma psicóloga, uma fisioterapeuta, uma nutricionista e aproximadamente 40 enfermeiros.

As perspectivas, segundo o director, são aquelas que constam do plano do hospital e da própria região sanitária, pese embora o hospital tem algumas metas definidas, como as parcerias público-privadas e intercâmbios com médicos nacionais e estrangeiros, para dar continuidade às consultas de especialidades, porque, explicou, há uma demanda grande e o hospital quer cada vez mais prestar melhor serviço.

Em termos de infra-estruturas, este disse que há intervenções e investimentos centrais em curso, mas do ponto de vista do hospital a prioridade é a construção do banco de sangue do hospital regional moderno, apetrechado e que responde às necessidades e exigências do próprio hospital tendo em conta os muitos sonhos.

O hospital regional Fogo/Brava, São Francisco de Assis, enquanto tal é recente e entrou em funcionamento em Janeiro de 2016, há pouco mais de três anos.

JR/ZS

Inforpress/Fim