Fogo: Fundo do Turismo vai financiar a rede de electricidade para a estância balnear de Salinas – José Gonçalves

São Filipe, 03 Ago (Inforpress) – O Fundo de Sustentabilidade Social para Turismo vai financiar a rede de fornecimento de energia eléctrica à estância balnear de Salinas para valorizar o projecto “Ecoturismo na piscina natural de Salinas” e o investimento privado no sector de hotelaria.

O ministro que tutela a área do Turismo, José Gonçalves, que sexta-feira visitou o projecto de requalificação da estância balnear de Salinas, denominado de “Ecoturismo na piscina natural de Salinas”, juntamente com o Chefe da Cooperação da Delegação da União Europeia em Cabo Verde e do gestor do Fundo do Turismo, disse que o financiamento visa melhorar o destino turístico para melhor utilização pela população e pelos turistas.

“O destino turístico de Salinas não estava devidamente dignificado e com o financiamento da União Europeia, do Fundo do Turismo e a iniciativa que um privado está a desenvolver vai dignificar este destino”, disse o titular da pasta do Turismo, indicando que o seu ministério vê que este destino está tornando naquilo que é um sonho almejado pela população residente, emigrantes e turistas.

O governante indicou que foi detectado que o grande investimento feito por um privado que vai melhorar a oferta de que faz falta o acesso a energia eléctrica e o Ministério que tutela já disponibilizou meios para complementar e aproximar a rede a eléctrica a Salinas para o acesso à energia, que vai beneficiar não só o empreendimento privado, a casa dos pescadores e outras estruturas que estão a ser preparadas para oferecer um melhor destino turístico às pessoas.

Com relação ao projecto de requalificação da estância balnear de Salinas, denominado de “Ecoturismo na piscina natural de Salinas”, financiado pela União Europeia, e cuja conclusão das obras devia acontecer em Novembro de 2018, José Gonçalves indicou que a obra ainda não terminou, mas que há grande movimentação de trabalhadores e maquinas.

“A parte mais difícil já está pronta e o fim da obra não está muito longe”, disse aquele governante, observando que é um processo que se vai aperfeiçoando, apontando como exemplo o facto dos pescadores estão a pedir uma zona de sombra para reparação das suas embarcações que não está contemplada no projecto financiado pela União Europeia, mas que o Governo vai ter esta solução para satisfazer as necessidades das pessoas que labutam nesta área.

O projecto beneficia de um financiamento da União Europeia no valor de 357.499 euros (mais de 39.300 contos), corresponde a 75 por cento (%) do investimento total que é de 476.666 Euros (52.400 contos cabo-verdianos), e tem como objectivo global a diversificação da oferta turística do Fogo.

Já a unidade turística Pedra Negra Salinas, um empreendimento turístico de capital 100 por cento (%) privado, está praticamente concluído, devendo abrir as portas nas próximas duas semanas.

Este empreendimento turístico ocupa uma área superior a três mil metros quadrados e «é constituído por 10 quartos (bangalós do tipo A e B), com casas de banho privativos, restaurante, piscina, quiosques, parque de estacionamento, de entre outros e visa a promoção do turismo de mar e de montanha, além de valorizar as potencialidades existentes e melhorar as condições de vida das pessoas com criação de emprego.

Neste momento, os promotores estão na fase de instalação dos equipamentos sanitários nos quartos e no arranjo do parque de estacionamento, funcionando com gerador próprio, esperando poder funcionar dentro de pouco tempo com energia disponibilizada com financiado do Fundo do Turismo do projecto de rede eléctrica à Salinas.
Salinas é uma baía que abriga um pequeno porto de pesca e uma piscina natural desenhada pela rocha vulcânica e uma das

principais referências turísticas da ilha do Fogo.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap