Fogo: Projectos FATA e Rotas do Fogo promovem a décima primeira mesa de diálogo

São Filipe, 10 Abr (Inforpress) – Os projectos Fogo, Água, Terra, Ar (FATA) e Rotas do Fogo, co-financiados pela União Europeia e executados pela ONG Italiana COSPE, reúnem-se quinta-feira com os seus parceiros, na décima primeira mesa de diálogo da “Rede Natour Fogo”.

A mesa de diálogo acontece nas instalações do Centro de Emprego e Formação Profissional Fogo/Brava e conta com a presença do gestor do Fundo do Turismo, Manuel Ribeiro.

O objectivo é apresentar as actividades desenvolvidas no âmbito dos dois projectos e apresentar a proposta de manutenção dos trilhos turísticos e criação do ponto de informação turística, além da divulgação da feira agropecuária que será realizada no quadro das festas do dia do município e da bandeira de São Filipe.

No âmbito do projecto vão ser apresentados os resultados da formação em “técnicas de gestão de museu e de património cultural” e em “protagonismo juvenil”.

De debruçar-se, também, sobre outras temáticas como a importância da manutenção dos trilhos turísticos e informações sobre a feira agropecuária, que será realizada em parceria com a delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente, por ocasião das festividades do dia do município e da bandeira de São Filipe, além da questão relacionada com planos e manuais a serem elaborados no âmbito do projecto.

No quadro do programa Rotas do Fogo, destaca-se a apresentação dos resultados da visita de estudo que um grupo de agentes económicos e culturais efectuou à ilha de Santo Antão, a situação da construção do ponto de informação turístico e da sede Associação de Guias Turísticos de Chã das Caldeiras (AGTC) e os resultados da formação em Associativismo I e II.

Os projectos FATA e Rotas do Fogo são financiados pela União Europeia e executados pela ONG italiana COSPE e tem como parceiros a Câmara Municipal dos Mosteiros, CERAI, Parque Natural do Fogo e Associação de Guias de Chã das Caldeiras.

O projecto FATA tem como finalidade contribuir para desenvolvimento do ecoturismo sustentável e solidário e valorização do património cultural/social/ambiental.

É co-financiado pela União Europeia, em parcerias com outros promotores, num valor global de 576 mil euros, mais de 63 mil contos cabo-verdianos, dos quais a União Europeia entra com 75 por cento (%), mais de 432 mil euros e os promotores em conjunto com 25%.

O projecto “Rotas do Fogo: modelo do agro-turismo como reforço das organizações locais do turismo rural e sustentável na ilha do Fogo”, conta com um orçamento global de 553.430 euros dos quais 498 mil euros são a contribuição da União Europeia e a parte restante dos demais parceiros e instituições envolvidas e é implementado pela ONG COSPE.

JR/AA

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap