Fogo: Estradas Campanas de Cima/Chã é importante para o desencravamento – CEFO (c/áudio)

São Filipe, 16 Jan (Inforpress) – A estrada Campanas de Cima/Chã das Caldeiras é “importante” para o desencravamento de Chã e cria um acesso mais rápido para eventuais evacuações, disse hoje o presidente da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento da Assembleia Nacional (AN).

Os parlamentares que integram a Comissão Especializada de Finanças e Orçamento (CEFO), que se encontram na ilha do Fogo, visitaram quarta-feira a estrada Chã/Piorno e, segundo José Veiga, esta infra-estrutura vai criar acesso alternativo para Mosteiros e “é uma boa obra que dá satisfação à população da região e da ilha”.

No sábado os deputados vão estar na Campanas de Cima para se inteirar da outra frente da construção desta estrada, já que a partir de Campanas não se trata de reabilitação, mas de construção de raiz, para entender se estão a ser bem alocados os recursos disponibilizados e se serve a ilha.

Questionado se foram informados sobre a derrapagem e o valor do investimento desta obra, José Veiga disse que não foram fornecidas informações sobre a derrapagem e que o valor do investimento estava definido, mas que, ao longo da execução e dependendo da forma como foi formatado o caderno de encargo, pode surgir a necessidade de incrementar recurso, porque, explicou, muitas vezes há alguma deficiência na elaboração dos cadernos.

“É uma estrada com muitos desafios, sobretudo o troço de Campanas de Cima a Piorno, e se não for calculado o custo inicial em condições pode vir a ter derrapagem”, disse José Veiga, indicando que são informações que vão obter junto da ministra das Infraestruturas.

Aquando da adjudicação da obra, a ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, assegurou que a estrada terá a dimensão de 4.5 metros por ser uma estrada rural e numa área protegida, e o seu financiamento era de 168 mil contos, valor que poderá ser aumentado tendo em conta alguns pontos negros devido às linhas de água e a necessidade de construção de obras hidráulicas.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Scroll to Top