• Save

Dia Mundial da Liberdade de Pensamento: Jacinto Estrela considera que Cabo Verde está numa fase de evolução (c/áudio)

Cidade da Praia,14 Jul (Inforpress)- O sociólogo Jacinto Estrela considera que Cabo Verde está numa fase de evolução no que se refere à liberdade de pensamento, considerando que a sociedade é livre para pensar, mas não acredita que ela exprima livremente a sua opinião.

Jacinto Estrela falava à Inforpress a propósito do Dia Mundial da Liberdade de Pensamento que se comemora hoje.
De acordo com Jacinto Estrela, no que se refere à liberdade de pensamento, Cabo Verde está numa evolução tal como outras sociedades,

“Nós estamos no século XXI, mas temos 44 anos de independência e nem sempre tivemos a liberdade de expressar o pensamento. Poderia se pensar, mas estava lá reprimido ou comentava-se em pequenos grupos e, antes disso, na fase colonial era pior porque não se poderia confiar”, afirmou o sociólogo.

Mas, apesar de reconhecer o estágio de evolução na sociedade cabo-verdiana, Jacinto Estrela frisou que há pessoas que têm um pensamento condicionado por vários factores. Tais factores, explicou, podem ser da própria pessoa, podem estar relacionados com o sentido de pertença de um grupo, podem ser também económicos, sociais e políticos.

“Há pessoas que não dizem o que pensam porque têm medo de ser desempregado. Há outras que não dizem tudo porque a maioria da sua cor política pensa de forma diferente”, analisou.

No entanto, a mesma fonte defendeu que se deve incentivar a expressão livre do pensamento porque “é muito melhor” conhecer o que se pensa do que ignorar.

“Eu prefiro, de longe, conhecer o que pensa o meu adversário do que não saber. E sabendo o que ele pensa nós podemos interagir”, explicou, defendendo que pensar é uma condição humana natural que deve ser desenvolvido para o beneficio da sociedade.

A seu ver, uma sociedade moderna que se preze defende a liberdade de pensamento “como uma das suas riquezas”.

O sociólogo lembrou que a liberdade de pensamento está plasmada no capítulo I da Constituição da República, que estabelece os “Direitos, Liberdades e Garantias individuais.”

“O artigo 29, que começa por plasmar o carácter inviolável do direito à liberdade e fala-se da liberdade individual como um direito. Logo a seguir, vem a liberdade de pensamento”, avançou Jacinto Estrela, para quem estas liberdades foram conquistas, alcançadas.

Desta forma, defendeu que cada vez que haja a violação dessas liberdades “é importante que haja vozes atentas para não haver retrocesso a um passado que ninguém tem saudades.”

O mesmo lembrou que a liberdade de pensamento pressupõe uma liberdade de poder expressá-lo. Por isso. sustentou que a liberdade de expressão e de informação também estão associadas à liberdade do pensamento.

“A sociedade onde não se pode falar uma coisa é uma sociedade pobre. É uma sociedade que está a negar as gerações vindouras de expressar de uma forma responsável”.

Jacinto Estrela recorda que o Dia Mundial da Liberdade de Pensamento (14 de Julho) , está associado à Tomada da Bastilha, que foi um momento de história da humanidade no âmbito da evolução das liberdades.

No entanto, lembrou que se deve falar da liberdade de pensamento já com base na actualidade, por entender que é através do desenvolvimento do pensamento que se pode alcançar e desenvolver, sem restrições, o conhecimento humano.

CD/JMV

Inforpress/fim