Cultura/Santo Antão: Flor de Figueiras “determinada” a preservar e promover contra – dança nesta ilha

Ribeira Grande, 10 Nov (Inforpress) – O grupo de contra – dança, Flor de Figueiras, criada há três anos nessa localidade, encravada no interior do município da Ribeira Grande, ilha de Santo Antão, exibiu-se pela primeira vez este sábado, no palco do festival Sete Sóis, Sete Luas.

Flor de Figueiras presenteou o público que encheu o “terreiro” da cidade da Ribeira Grade, com um espectáculo de contra – dança, que deixou “orgulhosos” os cerca de 20 elementos deste grupo, “determinados” em preservar e promover esse estilo de dança, praticada em Santo Antão, há séculos.

Conforme reza a história, a contra – dança, uma mistura de várias danças, com melodias diversas, terá chegado a Santo Antão, nos finais do século 17, vindo da França.

Figueiras terá sido uma das primeiras localidades da ilha de Santo Antão a praticarem a contra-dançada, que é também dançada em Fontainhas e no Porto Novo (Sul e Ribeira das Patas), através de grupos apostados igualmente em defender esta dança centenária.

No caso de Figueiras, Evanísio da Luz, líder do grupo, formado na sua maioria por jovens, a contra – dança, apesar de ser muito antiga, está enraizada em Figueiras, sendo praticada por crianças, jovens e “pessoas já com uma certa idade”, que “estão determinados em manter esta tradição”.

A estreia de Flor de Figueiras na edição 2019 do festival Sete Sós, Sete Luas “foi um grande orgulho” para este grupo, que tem a esperança em que esta participação seja “uma porta de entrada” para outros espectáculos, segundo o responsável, Evanísio da Luz.

“Somos de um lugar encravado, sem oportunidades. Pouca gente olha para nós, mas foi um grande orgulho ter mostrado no festival Sete Sóis, Sete Luas, o que temos de melhor em Figueiras, que é a nossa contra – dança”, notou Evanísio da Luz.

Para o líder deste grupo que nunca saiu da ilha de Santo Antão, o propósito é não deixar desaparecer esta tradição antiga, que faz parte da cultura dos santantonenses.

A contra – dança é de origem inglesa, mas foi levada para Holanda e França nos finais do século 17, tendo alcançado a auge de popularidade nos finais do século 18.

Em Cabo Verde, esta dança terá sido introduzida pelos franceses, a partir de Santo Antão, sendo Figueiras, em Ribeira Grande, uma das primeiras comunidades onde começou a ser praticada.

O festival Sete Sóis, Sete Luas na cidade da Ribeira Grande de Santo Antão, que se iniciou sexta-feira, foi encerrado por volta das 07:00 deste domingo, numa organização da câmara ribeira-grandense e da associação Sete Sóis, Sete Luas.

JM/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

 

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap