Covid-19: Segunda edição do “EnPalco100Artistas” abrange artistas estrangeiros residentes no arquipélago

Cidade da Praia, 21 Mai (Inforpress) – A segunda edição do programa “EnPalco100Artistas”, que conta com o financiamento da União Europeia, vai abranger não só os artistas e fazedores da cultura cabo-verdianos residentes, como, também, os artistas estrangeiros com residência fixa no País.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pela coordenadora do Bureau Export Music Cabo Verde (BEMCV), que executa este programa criado pelo Governo de Cabo Verde, através do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

Segundo Luhena Sá, nesta edição, cuja candidatura já está aberta e vai até 24 de Maio, vão contar com o financiamento da União Europeia, num montante global de dez mil euros (correspondente a um milhão de escudos cabo-verdianos) para pagar as performances dos artistas, que devido às medidas de contingência e confinamento viram canceladas as suas actividades profissionais e artísticas, ou seja, a sua fonte de rendimento.

Para além desta novidade, disse que houve uma alteração para que possam também apoiar os artistas estrangeiros que residem no arquipélago e ainda os artistas cabo-verdianos residentes em Cabo Verde que por razões da pandemia e cancelamentos de voos encontram-se retidos fora do território nacional.

À semelhança da primeira edição, informou que vão continuar a beneficiar 100 artistas com um montante de 10 mil escudos e todos os `lives´ serão divulgados na página do facebook do “Enpalco10Artistas” e cada artista terá um tempo de actuação de 15 a 20 minutos.

Luhena Sá adiantou que a primeira actuação da segunda edição está prevista para 01 de Junho e que, desta vez, estão a fazer de tudo para que o calendário das actuações seja o mais curto possível, isto é, em vez de ser durante todo o mês de Junho vão fazer de tudo para que seja menos.

Com isto, em vez de duas actuações por dia vão passar a exibir mais performances por dia.

Podem candidatar nesta 2ª edição artistas ligado às Artes Plásticas (pintura e escultura), à Dança, à Música, ao Teatro, Stand Up Comedy e Slam Poesia /Literatura, através do endereço electrónico edital.enpalco100artistas@gmail.com.

Segundo o edital do concurso, caso o artista beneficie de qualquer outra prestação atribuída pelo Estado de Cabo Verde, durante a vigência das medidas restritivas adoptadas no âmbito da pandemia da covid-19, terá direito apenas a 60% do montante de 10 mil escudos.

Em relação à primeira edição que se iniciou a 17 de Abril e termina no final deste mês, Luhena Sá faz um balanço positivo, uma vez que estão a ter uma “boa reacção” não só por parte dos artistas, como também do público.

De acordo com uma nota do Governo, até este momento actuaram 71 artistas, correspondendo a quatro mil horas de performance em directo `livestream´, e 260 mil visualizações, com espectadores de Cabo Verde, Portugal, Estados Unidos da América, França, Holanda, Brasil, Reino Unido, Angola, Luxemburgo, Espanha, Senegal e Suíça.

O público-alvo com maior alcance, apontou, pertence à faixa etária 25-31, seguido de 35-44 anos e 45-54 anos.

“O Governo está ciente do papel da arte e da cultura na formação do cidadão, por essa razão, criou este programa para ajudar aqueles que enfrentam o desafio de reinventarem as suas profissões e, consequentemente, manterem os seus rendimentos e a sua sobrevivência”, finalizou.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Scroll to Top