Covid-19: Analista económico admite possibilidade de ruptura de estoque de alimentos em Cabo Verde

Cidade da Praia, 23 Mar (Inforpress) – O economista cabo-verdiano José Agnelo Sanches admitiu hoje a possibilidade de haver ruptura de estoque de alimentos em Cabo Verde no futuro, derivado da pandemia Covid-19, que, antevê, terá “graves impactos económicos” no mundo e no arquipélago.

José Agnelo Sanches que fazia para a Inforpress uma análise dos impactos económicos da pandemia, disse que pelo facto de Cabo Verde ser um arquipélago o país poderá controlar melhor a propagação da doença, mas que a nível económico viverá uma crise nunca antes visto.

“Poderá haver também a possibilidade de ruptura de estoque dos produtos no futuro, porque os mercados fornecedores poderão não ter disponibilidade. Mesmo que tenhamos capacidade de importação poderemos ter a nível mundial alguma crise de produtos por causa da inactividade das indústrias transformadoras”, disse.

José Agnelo Sanches frisou que neste momento o perigo de uma recessão a nível mundial com incidência forte nos países mais frágeis e em países que não têm uma produção autóctone, como é o caso de Cabo Verde.

“Cabo Verde não é um país produtor. A agricultura cobre apenas 10% das nossas necessidades quando chove”, disse, alertando que a situação é grave também a nível económico.

Ademais, acrescentou que a proximidade de Cabo Verde ao epicentro da pandemia com Itália, Espanha e Portugal, onde o país tem uma grande diáspora e de onde o país também importa produtos.

Neste momento regista-se em várias ilhas do país muita correria aos supermercados, de pessoas que querem precaver-se de eventual falta de produtos no mercado nacional.

O Governo garante, entretanto, que o país dispõe de estoque de alimentos suficientes para os próximos meses e avisa que o açambarcamento é crime, podendo dar cadeia.

O coronavírus que provoca o Covid-19 foi identificado em Dezembro, na China, e já afectou 169 países que estão a fechar as suas fronteiras e com as economias praticamente paralisadas.

Mais de 300.000 casos de infecção pelo novo coronavírus foram registados desde o início da pandemia, segundo uma actualização da contagem realizada pela agência AFP, divulgada hoje, a partir de fontes oficiais.

De acordo com a contagem da agência noticiosa, até às 08:00 de hoje, existiam pelo menos 300.097 pessoas infectadas, das quais 12.895 morreram.

Cabo Verde registou o primeiro caso no dia 19 deste mês, na ilha da Boa Vista, e neste momento conta com três casos confirmados, todos na mesma ilha.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Scroll to Top