Covid-19: AILPcsh comemora Dia da África com videoconferência sobre a pandemia no continente africano

Cidade da Praia, 24 Mai (Inforpress) – A Associação Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa (AILPcsh) promove esta segunda-feira, 25, uma videoconferência “A África face à pandemia – perspectivas das ciências sociais e humanas” em comemoração ao dia da África.

Em comunicado, a AILPcsh afirma que a pandemia do novo coronavírus veio colocar ainda mais desafios aos países africanos, realçando que as ciências sociais têm um papel importante na humanização da resposta, na mitigação dos efeitos psicológicos e económicos da pandemia e na construção de um saber social que contribua para o desenvolvimento e inovação.

Com esta conferência, a AILPcsh pretende colocar em discussão as perspectivas das ciências sociais e humanas enquanto conhecimento plural que, para lá da especialização biomédica, pode prefigurar políticas para a pandemia socialmente mais justas e democráticas.

De acordo com a mesma fonte, é pela diversidade inerente às ciências sociais e humanas que se pode elucidar acerca das complexidades dos surtos epidémicos dentro da diversidade do contexto africano e mundial.

O painel de oradores tem a moderação de Gertrudes Oliveira (Cabo Verde) e é composto por Carlos Cardoso (Guiné-Bissau), Cesaltina Abreu (Angola), Juel da Silva (Guiné Bissau, diáspora no Brasil).

A videoconferência contará ainda com a declamação de poesias “por uma ciência com arte e solidariedade” pela artista Juel da Silva.

O Dia da África comemora-se anualmente a 25 de Maio porque foi neste dia, em 1963, que se criou a Organização de Unidade Africana (OUA), na Etiópia, com o objectivo de defender e emancipar o continente africano.

Em 1972 a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu o dia 25 de Maio como o Dia da África ou o Dia da Libertação da África. Em 2002 a OUA foi substituída pela União Africana mas a celebração da data manteve-se.

Este dia recorda a luta pela independência do continente africano contra a colonização europeia e contra o regime do Apartheid, assim como simboliza o desejo de um continente mais unido, organizado, desenvolvido e livre.

A data é celebrada em vários países da África e pelos africanos espalhados pelo mundo.

CM/HF

Inforpress/Fim

Scroll to Top