Cooperação Luxemburguesa financia formação para instituições financeiras e de garantia

Cidade da Praia, 14 Fev (Inforpress) – O director nacional de Indústria, Comércio e Energia disse que o sector bancário e financeiro são peças importantes para a estratégia de transição energética, numa transição a vários níveis e formas, na lógica centralizada de produção para a descentralização.

Rito Évora teceu estas considerações no encerramento da formação às instituições financeiras e de garantia, realizada no Banco de Cabo Verde, numa iniciativa do Ministério da Indústria, Comércio e Energia, através da Direcção Nacional da Indústria, Comércio e Energia, financiada pela Cooperação Luxemburguesa.

“Temos muito trabalho pela frente, vamos continuar a interagir e a colaborar com o sector nestas e noutras formas, para o master plano das energias renováveis”, realçou durante acto de encerramento que fechou com a entrega dos diplomas.

Rito Évora mostrou-se satisfeito com o resultado da formação, afirmando que a participação de todos os presentes, contribuirá para a melhoria da governação e do ambiente de negócio, “por estarem mais familiarizados com o assunto”, a fim de melhorar aquela área.

Enquanto isto, o representante Residente da LuxDevelopment em Cabo Verde, François Barry, disse que é um grande prazer trabalhar no programa de transição do master plano das energias renováveis em parceria com Cabo Verde, por ser “um país de visão e ambição, uma excelente combinação”.

A formação ministrada pela ATTF Luxembourg foi realizada com o intuito de capacitar as instituições financeiras e de garantia no domínio técnico, comercial e financeiro de sistemas de produção de energias, com base nas energias renováveis (mercado de microprodução e produtores independentes).

De mencionar que o Grão-Ducado do Luxemburgo é um dos principais parceiros no âmbito da transição energética de Cabo Verde, através do protocolo de acordo, assinado a 12 de Março de 2015.

No quadro do plano nacional de sustentabilidade energética, Cabo Verde definiu ultrapassar 50 por cento (%) de penetração de energias renováveis no horizonte 2030.

CG/SR//CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap