Cooperação Japonesa entrega à Adevic equipamentos de braille no valor de nove mil contos

Cidade da Praia, 17 Jan (Inforpress) – A cooperação japonesa entregou hoje, na cidade da Praia, à Associação de Deficiente Visuais (Adevic) equipamentos de braille, no valor de cerca de nove mil contos.

Vinte leitores inteligentes e três impressoras braille foram os materiais ofertados à Adevic, no âmbito do projecto de Fornecimento de Equipamentos de Apoio aos Deficientes Visuais, financiado pela Embaixada do Japão em Cabo Verde.

Na ocasião, o conselheiro-chefe de missão da Embaixada do Japão, Hirose Shinichi, esclareceu que estes materiais servirão para facilitar o acesso de crianças com deficiência visual à educação e formação profissional.

Este projecto, acrescentou, permite fornecer aos invisuais ferramentas de aprendizagem adaptadas e fabricadas por empresas japonesas e que contribuem para a segurança humana.

Por outro lado, o diplomata enalteceu o “apoio decisivo” que a Adevic tem prestado no desenvolvimento social e profissional das crianças com deficiência visual.

” Oferecem respostas aos desafios sociais que enfrentam, em particular ao escasso a uma educação adequada e de qualidade e à informação necessária para o empoderamento das pessoas invisuais”, precisou.

Por isso, defendeu que a segurança humana centrada na protecção e capacitação de cada indivíduo é essencial para a construção de uma sociedade onde “ninguém fica para trás”.

” A assistência oficial do Japão ao desenvolvimento atribui particular importância às pessoas vulneráveis, incluindo aos com deficiência, garantido seu cuidado para a construção de uma sociedade inclusive e resiliente”, precisou.

“Esta orientação, segundo Hirose Shinichi, está perfeitamente alinhada com a cooperação japonesa para o desenvolvimento de Cabo Verde, que tem um dos principais pilares a promoção da inclusão social e a redução das desigualdades”, adiantou.

Por sua vez, o presidente da Adevic, Marciano Monteiro, considerou que esta oferta significa “nova etapa” para a inclusão dos deficientes visuais, por proporcionar muitas vantagens didáticas.

“Estes equipamentos vão trazer mais valia no ensino e aprendizagem dos estudantes invisuais”, apontou Marciano Monteiro, apelando ao engajamento de todos os parceiros no apoio ao projecto de Fornecimento de Equipamentos de Apoio aos Deficientes Visuais.
OM/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos