Conselheiros do PM no CCJ prometem ser “exigentes” no seguimento da implementação das políticas públicas (c/video)

Cidade da Praia, 14 Fev (Inforpress) – Os conselheiros do primeiro-ministro no Conselho Consultivo da Juventude (CCJ) prometeram hoje ser a voz da juventude cabo-verdiana e “exigentes” no seguimento da implementação das políticas públicas visando garantir o desenvolvimento de Cabo Verde.

Essa posição foi manifestada hoje pela representante dos conselheiros do Conselho Consultivo do primeiro-ministro, Janice da Graça, durante o seu discurso na cerimónia de tomada de posse dos membros deste órgão, que foi presidida pelo chefe do governo, na cidade da Praia.

Enaltecendo a iniciativa da criação do Conselho Consultivo da Juventude, os conselheiros, segundo a porta-voz, comprometem-se a servir Cabo Verde aplicando as suas competências profissionais em prol do desenvolvimento do arquipélago.

Por outro lado, prosseguiu, os membros comprometem-se em levar não só as suas preocupações, ideias e os desafios, mas também as preocupações de todos os jovens das comunidades que representam.

“Comprometemos como profissionais a estar aqui não como jovens e público alvo a ser apoiado, mas como jovens com uma capacidade profissional, formação, vontade, compromisso com o país para dar o nosso melhor no seu desenvolvimento. Seremos exigentes, acompanharemos as políticas que propusermos, faremos o seguimento das recomendações que enviarmos”, afirmou, realçando, que querem ser parceiros do Governo nessa empreitada.

Por seu turno, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, durante a sua intervenção explicou que o modelo de criação do CCJ é inovador e inspirado no sistema que foi desenvolvido no Canadá, destacando, que a preocupação do Governo é de dar a voz e visibilidade à juventude cabo-verdiana, no que se refere a influenciação de políticas públicas direccionados para os jovens.

“Ficamos satisfeitos pelo facto de vermos que temos várias representações pelo género, todas as ilhas, diáspora, tivemos o cuidado de garantir que as diversas experienciais profissionais, competências, estivessem também representadas e são áreas de diversas profissões”, disse considerando, que a participação dos membros do CCJ muito mais rica em termos de análises, propostas e projectos a serem desenvolvidos em conjunto com o Governo.

“Temos jovens com vontade de servir o país e isto dá uma grande satisfação para o alento e o futuro que nós todos temos que construir. Que sejam portadores de novas atitudes para além das reivindicações a participação, estamos todos numa mesma trincheira”, declarou.

Apontou, por outro lado, a redução do número de jovens fora do sistema educativo, a aposta na educação e qualificação profissional e concretização dos compromissos geracionais, como as três grandes prioridades do Governo para juventude, mostrando-se, por outro lado, a total abertura do executivo em trabalhar com o CCJ na procura de melhores soluções que garantam o desenvolvimento do país.

O Conselho Consultivo da Juventude (CCJ) irá funcionar como uma plataforma de comunicação entre os jovens junto do primeiro-ministro.

O referido órgão tem como objectivo de fazer o aconselhamento sobre questões relevantes relacionadas com o presente e o futuro do país, em matérias com impacto na vida dos jovens, nomeadamente, o emprego, a educação, empreendedorismo, inovação, habitação e entre outros.

Fazem parte do CCJ cerca de 20 jovens de todas as ilhas e representantes da diáspora nomeadamente, Portugal, Estados Unidos da América e São Tomé e Príncipe para exercerem durante dois anos a função de conselheiros do chefe do executivo.

 

CM/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top